Palmeiras derrotou o Ceará por 2 a 1 neste domingo, no Pacaembu, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Aniversariante do dia, o volante Bruno Henrique comemorou os 29 anos de vida marcando os dois gols da vitória. Arthur descontou a favor dos cearenses. Com o resultado, o líder abriu vantagem para o Internacional na pontuação: 62 a 56.O time gaúcho entra em campo nesta segunda, quando recebe o Santos, no Beira-Rio. Ainda neste domingo, às 19h, o Flamengo, que tem 55, visita o Paraná e também pode encurtar a distância para os alviverdes.

Bruno Henrique (D) chegou a sete gols no Brasileiro: vice-artilheiro do time© WERTHER SANTANA/ESTADÃO Bruno Henrique (D) chegou a sete gols no Brasileiro: vice-artilheiro do timeNa próxima rodada, quando não haverá jogos no domingo (28) por conta do segundo turno das eleições no País, o Palmeiras entrará em campo no sábado. Às 19h, visita o Flamengo, no Maracanã. Já o Ceará segue sua batalha contra o rebaixamento na segunda (29): recebe o Atlético-MG, no Castelão, às 20h.

Antes de voltar a campo pelo Brasileirão, no entanto, os palmeirenses têm compromisso pela Libertadores. Na quarta-feira, enfrentam o Boca Juniors, às 21h45, na Bombonera, na Argentina, pelo duelo de ida da semifinal. A segunda partida está marcada para a semana seguinte, no Allianz Parque. Quem passar desse confronto encara o vencedor de River Plate x Grêmio na grande decisão.

Primeiro tempo: pênalti, polêmica e expulsões

O Palmeiras abriu o placar em lance que gerou muita reclamação dos visitantes. Não que o volante Edinho não tenha colocado a mão na bola em disputa pelo alto com Willian dentro da área. O próprio jogador admitiria a infração no intervalo. O problema foi que nem o árbitro André Castro nem seus auxiliares (incluindo o juiz que estava atrás do gol defendido por Éverson) viram a irregularidade. Quem aparentemente “apitou” foi o quarto árbitro, Marcio Soares Maciel.

Após muita confusão, Bruno Henrique não desperdiçou o pênalti assinalado e cobrou no centro do gol para abrir o placar: 1 a 0. O mesmo jogador acertaria um lindo chute de fora da área, aos 34, para ampliar a vantagem e deixar o jogo aparentemente tranquilo. Bem, até Deyverson acertar uma solada completamente desnecessária na barriga de Richardson e ser expulso aos 45. Acabou até pedindo desculpas à torcida.

Completando o primeiro tempo elétrico no Pacaembu, Lisca Doido, técnico do Ceará, também recebeu o vermelho após desentendimento com o banco de reservas palmeirense e deixou o campo provocando a torcida da casa e fazendo gesto com a mão como se o seu time estivesse sendo roubado.

Segundo tempo: Ceará desconta e ameaça

Com um jogador a mais, o time cearense foi para cima e descontou rapidamente, com Arthur, completando cruzamento de Leandro Carvalho pela direita aos 9 minutos. Aos 14, depois do escanteio, Arthur desviou de cabeça e a bola passou em frente à meta de Weverton. Nem Juninho Quixadá nem Edinho conseguiram desviar a bola para o gol.

Felipão tentou equilibrar o jogo apostando nos titulares que estavam no banco: colocou Dudu e Moisés nos lugares de Hyoran e Bruno Henrique, respectivamente. Deu certo, mas faltou capricho de seus comandados nos contra-ataques. Só Willian teve três ótimas chances de marcar o terceiro gol do Palmeiras, porém, parou nas mãos de Éverson. No fim, valeu a experiência e o embalo do líder para garantir a quinta vitória consecutiva no campeonato.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 2 x 1 CEARÁ

PALMEIRAS: Weverton; Jean (Mayke), Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luis; Felipe Melo, Bruno Henrique (Moisés) e Lucas Lima; Willian, Deyverson e Hyoran (Dudu). Técnico:Felipão.

CEARÁ: Éverson; Samuel Xavier, Tiago Alves, Luiz Otávio e Felipe Jonatan (Ricardinho); Edinho (Felipe Azevedo), Richardson, Juninho Quixadá (Ricardo Bueno) e Calyson; Arthur e Leandro Carvalho. Técnico: Lisca.

JUIZ: André Castro (GO).

GOLS: Bruno Henrique, aos 17 e 34 do 1º tempo; Arthur, aos 9 do 2º.

CARTÕES AMARELOS: Bruno Henrique, Diogo Barbosa, Hyoran, Lucas Lima e Mayke (Palmeiras); Richardson e Samuel Xavier (Ceará).

CARTÕES VERMELHOS: Deyverson (Palmeiras); Lisca (Ceará).

PÚBLICO: 33.355 pagantes. (R$ 1.178.690,00).

LOCAL: Pacaembu.