Números do Goianão 2019 após a ida da Fase Final

+ Jogos realizados: 85.  + Gols marcados: 209.  + Média de gols: 2,45 por partida.  + Principais artilheiros: 1º Alan Mineiro (Vila Nova) 9 gols.  Flávio Carioca (Anapolina) 8 gols.  Michael (Goiás) 7 gols. 4º Mike e Matheusinho (Atlético) e Willian Kozlowski (Goianésia) 6 gols.  Bruno Mota e Rodriguinho (Goianésia), Jorginho (Atlético), Renatinho (Goiás) e Du Gaia (Goiânia) 5 gols.  Alisson Tadei (Goiânia), Nathan (Grêmio Anápolis), Moisés (Aparecidense), Pedro Raul (Atlético), Marlone e Brenner (Goiás) e Rafael Tanque (Crac) 4 gols.  Nonato (Aparecidense), Nandinho (Novo Horizonte), Lucas Silva (Anapolina), Gustavo Bastos (Goianésia) e Gilsinho (Atlético) 3 gols.  João Vitor, Felipe Pará e Cardoso (Grêmio Anápolis), Rafael Vaz, Júnior Brandão, Barcia e Yago (Goiás), Alef e Saulo (Crac), Crystian e Diniz (Novo Horizonte), Capixaba, Denner e Wesley Matos (Vila Nova), Pedro Gabriel, Diego Fumaça e Vitor (Goiânia), Márcio Luiz (Goianésia), Negueba, Washington e Alex Henrique (Aparecidense), Guilherme e Recife (Iporá) e Alex Silva (Itumbiara) 2 gols.  + Gols contra: 4 – Fernando (Itumbiara) à favor do (Atlético), Moraes (Atlético) à favor do (Itumbiara), Wadson (Iporá) à favor do (Goiás) e Patrick William (Vila Nova) à favor do (Crac).  + Jogador com o maior número de Rodadas na artilharia principal: Michael (Goiás) 8 Rodadas.  + Equipes que menos perderam: Atlético 2; Goiás 3; Vila Nova, Crac, Goianésia e Itumbiara 5.  + Times que mais perderam: Novo Horizonte e Goiânia 8; Aparecidense e Anapolina 7.   + Equipes que mais venceram: Goiás e Atlético 13; Crac 7.  + Times que menos venceram: Novo Horizonte e Itumbiara 1; Iporá 2.  + Equipes que mais empataram: Itumbiara 6; Vila Nova 5; Iporá 4.  + Times que menos empataram: Goiás 1; Atlético, Goiânia, Crac e Aparecidense 2.  + Equipes que mais marcaram gols: Atlético 34; Goiás 31; Goianésia 23.  + Times que menos marcaram gols: Itumbiara, Iporá e Novo Horizonte 9.  + Equipes que menos sofreram gols: Goiás, Crac, Grêmio Anápolis e Itumbiara 14.  + Times que mais sofreram gols: Anapolina 26; Goiânia 23; Novo Horizonte, Goianésia e Aparecidense 19.  + Total de resultados diferentes que aconteceram: 11.  + Resultados que mais aconteceram: 2×1 – 21 vezes; 1×0 – 20 vezes; 1×1 – 11 vezes.  + Time com a maior sequência de vitórias consecutivas: Goiás (da 1ª à 9ª Rodadas) 9.  + Equipe com a maior sequência de jogos consecutivos sem derrota: Goiás (da 1ª à 10ª Rodadas) (9 vitórias e 1 empate) e Atlético (da 8ª à 17ª Rodadas) (9 vitórias e 1 empate) 10.  + Time com a maior sequência de derrotas consecutivas: Iporá (da 5ª à 8ª Rodadas) 4.  + Equipe com a maior sequência de jogos consecutivos sem vitória: Iporá (da 1ª à 8ª Rodadas) (4 empates e 4 derrotas) 8.  + Total de expulsões: 31 (Rodriguinho e Willian Kozlowski (Goianésia), Willian, Aleílson, Uederson e Moisés (Aparecidense), Jussandro, Rodrigo Milanez, Recife, André Luiz e Lennon (Iporá), Miquéias, Davi e Oscar (Itumbiara), Thiago Santos, Gilsinho e Washington (Atlético), Caio, Vitor, Iuri, Wellington, Crystian e Rangel (Novo Horizonte), Ratinho e Brenner (Goiás), Gastón Filgueira, Neto, Keké, Wesley Matos e Philipe Maia (Vila Nova) e Dé (Anapolina)).  + Times com o maior número de expulsões: Novo Horizonte 6; Iporá e Vila Nova 5.  + Equipes com o menor número de expulsões: Crac, Goiânia e Grêmio Anápolis 0.  + Total de advertências com o cartão amarelo: 396.  + Times com o maior número de advertências com o cartão amarelo: Vila Nova 43; Atlético 38; Iporá e Goianésia 37.  + Equipes com o menor número de advertências com o cartão amarelo: Itumbiara 25; Goiânia e Anapolina 27.  + Times que ocuparam a liderança da 1ª Fase: 1 = Goiás (12 Rodadas).  + Equipes que figuraram na faixa de classificação às Quartas de Final: 11 = Goiás, Atlético, Crac e Vila Nova (12 Rodadas); Goianésia (11 Rodadas); Goiânia (10 Rodadas); Grêmio Anápolis (8 Rodadas); Aparecidense (7 Rodadas); Iporá e Anapolina (5 Rodadas); Itumbiara (2 Rodadas).  + Times que figuraram na faixa do rebaixamento: 7 = Novo Horizonte (8 Rodadas); Itumbiara (6 Rodadas); Anapolina e Iporá (3 Rodadas); Goiânia (2 Rodadas); Goianésia e Aparecidense (1 Rodada).  + Equipes que ocuparam a lanterna da 1ª Fase: 5 = Novo Horizonte (5 Rodadas); Iporá, Goiânia e Itumbiara (2 Rodadas); Anapolina (1 Rodada).  + Confronto de pontos entre os grupos na 1ª Fase: Times do Grupo A 109 x 91 Times do Grupo B.   + Times que mais venceram fora de casa: Atlético e Goiás 4; Crac e Goiânia 3.  + Equipes que não venceram fora de casa: Novo Horizonte e Itumbiara.  + Times que perderam em casa: 11 = Novo Horizonte 4; Iporá, Aparecidense e Goianésia 3; Itumbiara, Grêmio Anápolis, Crac e Anapolina 2; Vila Nova, Goiânia e Goiás 1.  + Goleadas aplicadas: 12 (Goiânia 0x3 Goiás – 1ª Rodada do 1º Turno da 1ª Fase), (Goianésia 4×1 Novo Horizonte – 3ª Rodada do 1º Turno da 1ª Fase), (Novo Horizonte 3×0 Itumbiara – 4ª Rodada do 1º Turno da 1ª Fase), (Atlético 3×0 Anapolina – 4ª Rodada do 1º Turno da 1ª Fase), (Vila Nova 3×0 Crac – 4ª Rodada do 1º Turno da 1ª Fase), (Goiás 3×0 Atlético – 5ª Rodada do 1º Turno da 1ª Fase), (Goiânia 3×0 Anapolina – 6ª Rodada (Última) do 1º Turno da 1ª Fase), (Novo Horizonte 1×4 Goianésia – 2ª Rodada do 2º Turno da 1ª Fase), (Anapolina 0x3 Atlético – ida das Quartas de Final), (Atlético 4×1 Anapolina – volta das Quartas de Final), (Goiânia 0x3 Goiás – ida da Fase Semifinal) e (Atlético 3×0 Goiás – ida da Fase Final).   + Times que aplicaram goleada: 6 = Atlético 4; Goiás 3; Goianésia 2; Novo Horizonte, Vila Nova e Goiânia 1.  + Equipes que sofreram goleada: 7 = Anapolina 4; Novo Horizonte e Goiânia 2; Itumbiara, Crac, Atlético e Goiás 1.  + Pênaltis assinalados: 35 (29 convertidos; 6 desperdiçados).  + Times que mais tiveram pênalti a favor: Goianésia 5; Crac e Goiânia 4.  + Equipes que menos tiveram pênalti à favor: Grêmio Anápolis e Itumbiara 1; Novo Horizonte 2.  + Times que mais cometeram pênalti: Goiânia 5; Itumbiara 4; Grêmio Anápolis, Novo Horizonte, Iporá, Crac, Goianésia, Atlético e Goiás 3.  + Equipes que menos cometeram pênalti: Vila Nova 1; Aparecidense e Anapolina 2.  + Jogadores que marcaram gol de pênalti: Flávio Carioca (Anapolina), Rodriguinho (Goianésia) e Alan Mineiro (Vila Nova) 3; Saulo (Crac), Mike (Atlético), Renatinho (Goiás) e Alex Henrique (Aparecidense) 2; Ayrton (Goianésia), Diniz (Novo Horizonte), Giovanny Paulista (Goiás), Nonato (Aparecidense), Guilherme e Bruno Menezes (Iporá), Ryan (Itumbiara), Panda e Rafael Tanque (Crac), Miguel e Márcio (Goiânia) e Gilsinho (Atlético) 1.  + Jogadores que desperdiçaram pênalti: Lucas Lima (Grêmio Anápolis), Diniz (Novo Horizonte), Márcio e Alisson Tadei (Goiânia), Rodriguinho (Goianésia) e Guilherme (Iporá) 1.  + Goleiros que defenderam pênalti: 2 = Leandro (Goianésia) 2; Bruno Fuso (Crac) 1.  + Total de árbitros que apitaram: 12.  + Árbitros que mais apitaram: André Luiz Castro, Jefferson Ferreira, Wílton Sampaio e Eduardo Tomaz 10 jogos.  + Árbitros que mais expulsaram: Wílton Sampaio 7; Anderson Gonçalves e André Luiz Castro 5.  + Árbitros que mais advertiram com o cartão amarelo: Eduardo Tomaz 52; Wílton Sampaio 51; André Luiz Castro 43.  + Árbitros que mais assinalaram pênalti: Elmo Resende 7; Anderson Gonçalves e André Luiz Castro 6.  + Total de assistentes que trabalharam: 24.  + Assistentes que mais trabalharam: Cristhian Passos 14 jogos; Bruno Pires e Leone Carvalho 11 jogos.  + Total de quartos árbitros que trabalharam: 16.  + Quartos árbitros que mais trabalharam: Fabrício Nery 10 jogos; Alcino Neto, Clebert Pereira e Amarildo Ferreira 9 jogos.  + Goleiro menos vazado: Sidão (Goiás) = média de 0,81 por partida, 13 gols sofridos em 16 partidas realizadas.  + Goleiro mais vazado: Márcio (Goiânia) = média de 1,63 por partida, 18 gols sofridos em 11 jogos realizados.  + Times que trocaram de técnico: 8 = Anapolina (após a 4ª Rodada do 1º Turno, saiu Pachequinho, 4 jogos, aproveitamento de 16,66%, entrou Toninho Cecílio, 10 jogos, aproveitamento de 43,33%); Aparecidense (após a 4ª Rodada do 1º Turno, saiu Márcio Fernandes, 4 jogos, aproveitamento de 16,66%, entrou Romerito (interino), após a 5ª Rodada do 1º Turno, saiu, 1 jogo, aproveitamento de 100,00%, entrou Edson Júnior, 9 jogos, aproveitamento de 44,44%); Itumbiara (após a 4ª Rodada do 1º Turno, saiu Júnior Baiano, 4 jogos, aproveitamento de 16,66%, entrou Vitor Hugo, 8 jogos, aproveitamento de 29,16%); Goianésia (após a 5ª Rodada do 1º Turno, saiu Edson Júnior, 5 jogos, aproveitamento de 46,66%, entrou Rogério Mancini, 9 jogos, aproveitamento de 51,85%); Grêmio Anápolis (após a 5ª Rodada do 1º Turno, saiu Sílvio Criciúma, 5 jogos, aproveitamento de 40,00%, entrou André Ricardo (interino), após a 6ª Rodada (Última) do 1º Turno, saiu, 1 jogo, aproveitamento de 33,33%, entrou Cléber Gaúcho, 6 jogos, aproveitamento de 27,77%); Iporá (após a 5ª Rodada do 1º Turno, saiu Kiko Araújo, 5 jogos, aproveitamento de 26,66%, entrou Zé Roberto, após a 1ª Rodada do 2º Turno, saiu, 2 jogos, aproveitamento de 0,00%, entrou Auecione, 5 jogos, aproveitamento de 40,00%); Novo Horizonte (após a 6ª Rodada (Última) do 1º Turno, saiu Wladimir Araújo, 6 jogos, aproveitamento de 22,22%, entrou Coutinho, após a 2ª Rodada do 2º Turno, saiu, 2 jogos, aproveitamento de 0,00%, entrou Silmar Simão, 4 jogos, aproveitamento de 16,66%) e Vila Nova (após a 1ª Rodada do 2º Turno, saiu Umberto Louzer, 7 jogos, aproveitamento de 66,66%, entrou Márcio Goiano (interino), após a 2ª Rodada do 2º Turno, saiu, 1 jogo, aproveitamento de 0,00%, entrou Eduardo Baptista, 8 jogos, aproveitamento de 37,50%).   + Equipes com participação encerrada que não trocaram de técnico: Crac (Ney da Mata, 14 jogos, aproveitamento de 54,76%) e Goiânia (Artur Neto, 16 jogos, aproveitamento de 41,66%).   + Total de jogadores que já participaram do Campeonato: 334.  + Times que mais utilizaram jogadores: Itumbiara 32; Goiânia e Goiás 31.  + Equipes que menos utilizaram jogadores: Goianésia 21; Novo Horizonte 22; Aparecidense 26.  + Total de jogadores que atuaram em todas as 12 partidas de seus respectivos times: 14 = Doni e Lucas Silva (Anapolina), Evandro, Nilo e Michael (Crac), Leandro e Márcio Luiz (Goianésia), Michael Douglas, Marcão, Roger e Cardoso (Grêmio Anápolis), Luiz Felipe (Itumbiara), Wallinson (Novo Horizonte) e Alan Mineiro (Vila Nova).  + Total de jogadores que atuaram em todas as 14 partidas de seus respectivos times das Quartas de Final: 7 = Doni e Lucas Silva (Anapolina), Evandro e Michael (Crac), Leandro e Márcio Luiz (Goianésia) e Alan Mineiro (Vila Nova).  + Total de jogadores que atuaram em todas as 16 partidas de seus respectivos times da Fase Semifinal: 1 = Alan Mineiro (Vila Nova).  + Total de jogadores que atuaram em todas as 17 partidas de seus respectivos times da Fase Final: nenhum.  + Total de jogadores que atuaram os 90 minutos de todas as 12 partidas de seus respectivos times: 6 = Doni (Anapolina), Evandro e Nilo (Crac), Leandro e Márcio Luiz (Goianésia) e Marcão (Grêmio Anápolis).  + Total de jogadores que atuaram os 90 minutos de todas as 14 partidas de seus respectivos times das Quartas de Final: 4 = Doni (Anapolina), Evandro (Crac) e Leandro e Márcio Luiz (Goianésia).  + Total de jogadores que atuaram os 90 minutos de todas as 16 partidas de seus respectivos times da Fase Semifinal: nenhum.  + Total de jogadores que atuaram os 90 minutos de todas as 17 partidas de seus respectivos times da Fase Final: nenhum.    + Jogador mais disciplinado: Doni (Anapolina) nenhuma advertência nos 90 minutos em todas as 14 partidas de seu time.     + Total de público pagante da ida da Fase Final: 4.636.    + Total de público pagante do Campeonato: 161.498.  + Média de público pagante do Campeonato: 1.899 (-33,60% em relação a 2018).  + Total arrecadado bruto da ida da Fase Final: R$ 57.515,00.  + Total de renda bruta do Campeonato: R$ 2.972.662,00.  + Média de renda do Campeonato: R$ 34.972,49 (-42,51% em relação a 2018).  + Maior público pagante: 8.176 no jogo Goiás 3×1 Goiânia, no sábado, dia 6 de abril no Estádio Hailé Pinheiro em Goiânia.  + Menor público pagante: 39 no jogo Grêmio Anápolis 0x0 Crac, no domingo, dia 24 de fevereiro no Estádio Jonas Duarte em Anápolis.   + Maior renda: R$ 136.100,00 no jogo Goiás 2×0 Vila Nova, no domingo, dia 27 de janeiro no Estádio Hailé Pinheiro em Goiânia.   + Menor renda: R$ 640,00 no jogo Grêmio Anápolis 0x0 Crac, no domingo, dia 24 de fevereiro no Estádio Jonas Duarte em Anápolis.  
Autor: Roberto Sampaio
Fonte: Coordenadoria Técnica

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás