Conselho do Grupo Pão de Açúcar aprova venda de participação na Via Varejo

Empresário Michael Klein manifestou interesse em comprar todas as ações do GPA na companhia. Se transação for confirmada, controle das Casas Bahia voltará para a família fundadora da rede.

Com informações do Portal G1


O conselho de administração do Grupo Pão de Açúcar (GPA) anunciou que aprovou nesta quarta-feira (12) a venda de todas as ações detidas pela companhia na Via Varejo, dona das Casas Bahia e Ponto Frio, em leilão na B3, pelo preço mínimo de R$ 4,75 por ação.

Em comunicado ao mercado, o GPA afirmou que recebeu na véspera carta de Michael Klein comunicando que, caso a companhia realize a venda de todas as ações que detém na Via Varejo, o empresário apresentará, “individualmente (direta ou indiretamente) e em conjunto com outros investidores, uma ou mais ordens de compra para aquisição de todas as ações da Via Varejo detidas pelo GPA pelo preço máximo de R$ 4,75”.

O GPA é o acionista controlador da Via Varejo, com 36,27% do capital social da varejista de móveis e eletrodomésticos. A família Klein detém fatia de 25,43%.

Caso a transação se confirme, a família de Michael Klein passará a ser a nova controladora da empresa criada a partir da fusão entre Casas Bahia e Ponto Frio. Dessa forma, o controle das Casas Bahia voltará para a família fundadora da rede.

O GPA e a Via Varejo não informaram a data da realização do leilão.

Por volta das 11h12, as ações da Via Varejo tinham queda ao redor de 3%. Já os papéis do GPA subiam acima de 1%.

Na terça-feira, os papéis ordinários da Via Varejo encerraram o dia negociados a R$ 5,00. Considerando a quantidade de ações que atualmente pertencem ao GPA, a venda seria fechada, no mínimo, a R$ 2,23 bilhões, segundo o Valor Online.

Em 2009, Casas Bahia e Grupo Pão de Açúcar anunciaram um acordo de fusão que criou a Via Varejo — Foto: Divulgação/Via Varejo

Em 2009, Casas Bahia e Grupo Pão de Açúcar anunciaram um acordo de fusão que criou a Via Varejo — Foto: Divulgação/Via Varejo

Analistas do Itaú BBA destacaram que, para o GPA, a oferta permitirá que a empresa se concentre totalmente em seu negócio de varejo de alimentos que está razoavelmente indo bem, informa a Reuters.

Na visão dd Itaú BBA, dado o cenário extremamente desafiador que Via Varejo vem enfrentando do ponto de vista operacional, uma mudança no grupo de controle abrirá uma janela para um possível processo de recuperação. Eles ressaltaram, contudo, que há muitos riscos em termos de execução.

Histórico da Via Varejo

O GPA tenta vender a rede desde o final de 2016 para se concentrar em varejo alimentar. A empresa teve prejuízo de R$ 267 milhões no ano passado.

Em maio, a Via Varejo comunicou que o acionista Michael Klein estava no processo de contratação dos serviços de assessoria financeira da XPpara avaliar a aquisição em bolsa de valores de ações da varejista.

Michael Klein é filho do fundador das Casas Bahia, Samuel Klein. Em 2009, Casas Bahia e Grupo Pão de Açúcar anunciaram um acordo de fusão que criou a Via Varejo, que concentrou das marcas Casas Bahia, Ponto Frio e Extra Eletro.

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás