Vale a pena caminhar? Vale sim, pode apostar!

Calce o tênis e siga adiante! A caminhada é sempre uma ótima opção e vamos dizer o porquê.

Se para você praticar alguma atividade física é sinônimo de treino chato, falta de tempo, cansaço e até gasto de dinheiro, pode ir pensando em uma outra desculpa para não colocar o corpo em movimento.

A caminhada é uma alternativa simples e de baixo custo. Você pode caminhar, praticamente, a qualquer hora e lugar, sozinho ou em grupo. No final das contas, você contribuirá para manter o seu peso adequado e melhorar o seu estado de saúde.

Casal caminhando .

Por falar nesses benefícios, a caminhada é um exemplo de atividade aeróbica que melhora o condicionamento físico e ajuda na função cardiovascular. Ela, ainda, tem a capacidade de reduzir a pressão arterial, os níveis de colesterol e atua na prevenção de algumas doenças crônicas não transmissíveis.

O educador físico Rodrigo Honorato, entrevistado pelo Blog da Saúde do Ministério da Saúde, lembra que as atividades aeróbicas têm a capacidade comprovada de prevenir osteoporose, doenças cardíacas, cânceres de ovário e mama e distúrbios do sono.

Mas os benefícios ainda não acabaram. São pernas e glúteos torneados que você quer? Com a caminhada é possível. E sob o aspecto emocional, ela é uma ótima opção para aliviar o estresse e os sintomas da ansiedade.  Em resumo, a caminhada te proporciona um hábito de vida mais saudável.

E como nosso objetivo é impedir que você desista, aqui vai uma seleção de técnicas para te fazer caminhar mais. Você nem vai perceber que está praticando uma atividade física. Olha só:

1 – Faça mais coisas a pé

Os compromissos do nosso dia a dia podem ser perfeitos aliados para manter o corpo em movimento. Se aquele parente mora perto, que tal ir até a casa dele caminhando ao invés de pegar o carro?

Existem ainda outras possibilidades, como: passear com o cachorro, ir andando até a escola do seu filho para buscá-lo, ir ao supermercado a pé ou qualquer outro trajeto curto que dispense o carro. Até mesmo usar o banheiro mais distante ou em outro andar no trabalho e substituir, em alguns momentos, o elevador pela escada!

2 – Estacione o carro longe do trabalho

No mesmo sentido da dica anterior, a ideia é incluir a atividade na sua rotina. Você não precisa estacionar na porta do seu trabalho, basta parar há alguns metros de distância. Já parou para pensar nos benefícios que essa pequena mudança pode te trazer a longo prazo?

Se você não tem carro, pode escolher descer uma ou duas paradas ou estações antes da sua. Assim, você também se obriga a andar um pouco e já garante o primeiro movimento do dia. Nesse caso é importante apenas estar atento à segurança, como andar em locais iluminados e movimentados.

3 – Caminhe enquanto conversa

É muito prazeroso chamar alguém para dar uma caminhada e colocar o papo em dia. Essa alternativa é super válida, mas nem sempre parece viável. Acontece que você não precisa esperar sua agenda encaixar com a de alguém. Pega o telefone e faz uma ligação!

Enquanto a conversa se desenrola, você vai estar caminhando. Com certeza nem vai dar para sentir o tempo passar. Além disso, já pensou em como seria legal surpreender alguém que você gosta com alguns minutos de conversa?

4 – Crie playlists animadas e ouça aquilo que te motive

Uma outra tática para deixar sua atividade mais empolgante é ouvir música. Você pode até estabelecer uma quantidade específica de faixas na playlist para delimitar quando começa e termina sua caminhada.

 Isso sem contar que não há nada mais motivador que uma boa música! Podcasts e rádios, disponíveis em vários aplicativos gratuitos e sites, também podem ser grandes aliados no percurso. Lembrando da importância de não exceder o volume para não prejudicar a saúde auditiva.

5 – Faça um calendário da sua evolução

Você pode estabelecer metas diárias, semanais ou mensais e, ao final de cada uma, ir anotando todo dia no calendário. Inicialmente, a proposta pode ser de se movimentar apenas 20 minutos por dia e depois ir aumentando.

Com o tempo, o seu corpo se acostuma com aquela atividade e ela passa a ser um hábito. Lembra daquelas anotações? Elas vão mostrar de forma concreta a sua evolução. Isso aumenta ainda mais a motivação para não parar.

Mas lembre-se:

Respeitar seu ritmo é tão importante quanto a prática da atividade física.  É preciso ser realista quanto aos seus limites e desejos. Não vale querer copiar ao pé da letra aquilo que você viu nas redes sociais ou algum amigo fazendo, por exemplo.

Cada pessoa possui limitações físicas, disposição, disponibilidade, objetivos e motivações diferentes. Tentar se comparar ou fazer algo que não se encaixa na sua realidade só vai servir para te desmotivar e, claro, prejudicar a longo prazo.

Vale reforçar, também, que um profissional da saúde deve ser consultado antes de iniciar qualquer atividade física, principalmente se existem fatores de risco associados, como lesões ostearticulares e doenças como a hipertensão arterial, diabetes e problemas cardíacos. Sem esquecer, claro, da hidratação e uso de roupas e calçados adequados.

Você pode encontrar auxílio e orientação desses profissionais no Sistema Único de Saúde (SUS), procurando por uma das Unidades Básicas de Saúde ou nos polos do Programa Academia da Saúde.

Por http://saudebrasil.saude.gov.br

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás