São Paulo usa paciência como maior virtude para vencer o clássico contra o Corinthians

Mesmo quando a torcida ficou impaciente, time de Fernando Diniz manteve a calma em campo


São Paulo subiu para o gramado do Morumbi no último domingo ciente de que iria enfrentar um Corinthians inteiramente recuado. A equipe de Fábio Carille é a quarta colocada do Brasileirão exatamente por manter esse estilo de jogo, mesmo que criticada muitas vezes pela falta de ofensividade.

Fernando Diniz também não abriu mão do seu estilo de posse de bola, toques rápidos, triangulações e trocas de posições. No entanto, ele fez mais do que isso: colocou uma pitada de paciência em seus jogadores. E a vitória por 1 a 0 foi conquistada com gol de Reinaldo, de pênalti.

O São Paulo rodou a bola de um lado para o outro em vários momentos. Quando não dava para entrar na área do rival, o chute de fora da área era a saída. Reinaldo quase abriu o placar em bola que parou na trave.

+ Leia mais notícias do São Paulo

Fernando Diniz e Fábio Carille antes de a bola rolar para São Paulo x Corinthians — Foto: Marcos Ribolli

Fernando Diniz e Fábio Carille antes de a bola rolar para São Paulo x Corinthians — Foto: Marcos Ribolli

Sem conseguir entrar na zaga corintiana, o time não recorreu para o famoso “chuveirinho”. Tanto é que durante toda a partida o São Paulo deu menos cruzamentos na área que o rival (8 a 10).

É fato que os toques de lado na intermediária começaram a irritar parte da torcida. Alguns mais exaltados no Morumbi pediam para a equipe jogar mais bola. Nas redes sociais, uma enxurrada de críticas do tipo “toca, toca, toca e não faz nada”. O primeiro tempo realmente foi abaixo das expectativas.

A impaciência que se via nos torcedores não se viu nos jogadores. Na volta do intervalo, o Tricolor manteve o mesmo ritmo e encurralou o Corinthians ainda mais no campo de defesa. Sem força para o contra-ataque, o rival passou a ser praticamente nulo na partida.

E de tanto insistir, o São Paulo conseguiu a recompensa ao estilo que não abriu mão desde o apito inicial. Aos 20 minutos do segundo tempo, Vitor Bueno levou a bola pela esquerda, achou Hernanes na entrada da área, que com um toque sutil deixou Vitor Bueno em condições de finalizar.

O meia, no entanto, foi derrubado e o juiz marcou pênalti. Reinaldo converteu a cobrança e fez o Morumbi respirar aliviado.

Reinaldo comemora gol do São Paulo sobre o Corinthians — Foto: Marcos Ribolli

Reinaldo comemora gol do São Paulo sobre o Corinthians — Foto: Marcos Ribolli

Com o Corinthians precisando do resultado, Fábio Carille deu mais ofensividade ao time. Era tudo que Fernando Diniz queria. Como o jogo ficou mais franco, os contra-ataques do São Paulo funcionaram, e quase o segundo gol sai em jogada de Liziero com Igor Gomes.

Os gritos de “olé” ao fim do jogo e a explosão da torcida ao apito final dão indícios de que haverá paciência, pelo menos nesse início, com o trabalho de Diniz.

A paciência que também pode trazer tranquilidade para o término de um ano conturbado de um São Paulo que está cada vez mais vivo na briga por uma vaga no G-4 do Brasileirão. 

Por Globo Esporte

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás