Sebrae participa da Iniciativa WE para fomentar educação e empreendedorismo feminino no país

A instituição se uniu à Microsoft Participações, à Bertha Capital e à Belvedere Investimentos no lançamento do Women Entrepreneurship (WE)

Uma parceria entre Sebrae, Microsoft Participações, Bertha Capital e Belvedere Investimentos está lançando no Brasil o Women Entrepreneurship (WE). A ação tem o objetivo de difundir a cultura empreendedora e o empreendedorismo feminino no país.  O Women Entrepreneurship (WE) é formado por duas iniciativas: o Fundo de Investimento em Participação de Capital Semente (Women Entrepreneurship – Fundo WE) e o Portal WE. São iniciativas inclusivas que visam englobar projetos de todas as regiões do Brasil. O de lançamento evento ocorreu na Microsoft, em São Paulo (SP), na última sexta-feira (22/11/19).

O Fundo WE dedica-se a desenvolver iniciativas disruptivas, de base tecnológica, que tenham pelo menos uma mulher como sócia do empreendimento. Com R$ 50 milhões já captados, o objetivo é chegar a R$ 100 milhões em até cinco anos. Os aportes nas startups irão de R$ 500 mil a R$ 5 milhões. Já o Portal WE oferecerá capacitações de negócios e de tecnologias digitais, bem como mentoria técnica e desafios para estudantes de universidades ou de cursos técnicos. Nesta fase, serão oferecidas bolsas de até R$ 50 mil.

Renata Malheiros, coordenadora nacional de projetos de empreendedorismo feminino do Sebrae, destacou no evento de lançamento a relevância da iniciativa, pois embora as mulheres empreendedoras sejam 16% mais escolarizadas em anos de estudos do que os homens, as suas empresas faturam, em média, 22% menos, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e do Sebrae. “Isso ocorre por uma questão cultural: as mulheres dedicam mais tempo do que os homens a tarefas domésticas não remuneradas e voltadas para pessoas, como crianças ou parentes. E também por causa de crenças limitantes como, por exemplo, ‘menina não é boa com números’. Portanto, programas como a Iniciativa WE são importantes para mostrar a representatividade feminina: ‘olha, ela é dona de startup; ela é de tecnologia’. É assim que começamos a mudar a sociedade”, afirmou Renata.

O Sebrae participará do programa por meio da capacitação empreendedora e do Sebrae Lab, os espaços de coworking. “Os empreendedores em geral necessitam de capacitação empreendedora, capacitação técnica, acesso ao capital e acesso ao mercado. E este programa é muito oportuno. O Sebrae vem investindo fortemente na capacitação de mulheres, pois só existe inovação onde existe diversidade”, disse o diretor superintendente do Sebrae em São Paulo, Wilson Poit.

Exemplo

Mais que oferecer investimento, a Iniciativa WE quer ajudar a criar líderes mulheres que sirvam de exemplo para as gerações futuras. O objetivo é mostrar que empreender pode ser um caminho natural para qualquer mulher. “Será um impacto de longo prazo que provavelmente reverberará para as gerações futuras. À medida que um número maior de startups lideradas por mulheres ganharem mais experiência, elas irão estimular outras mulheres a fundarem, realizar mentoria ou financiar novos empreendimentos”, afirmou Franklin Luzes, vice-presidente da Microsoft Participações.

Segundo Marco Hascal, sócio da Belvedere Investimentos, que tem um quadro com 42% da equipe composta por mulheres, sendo três delas diretoras, explica que essa iniciativa vai acelerar a expansão de novas empresas com lideranças femininas e dar uma visão global para todos. A Iniciativa WE espera investir em 25 startups nos próximos cinco anos. A Belvedere Investimentos ficará também responsável pela captação dos recursos. Além disso, devido ao caráter inovador e disruptivo desta iniciativa, a Belvedere Investimentos também criou um veículo dedicado para receber a participação de pessoas físicas que desejem apoiar esta iniciativa de fomento ao empreendedorismo feminino no Brasil.

Do ponto de vista da tese de investimento e das áreas nas quais as startups serão selecionadas, Rafael Moreira, CEO da Bertha Capital, salientou que tecnologias disruptivas tais como Inteligência Artificial, Internet das Coisas (IoT) e Computação em Nuvem são exemplos de tecnologias transversais que habilitam negócios inovadores que estarão no centro da tese de investimento. “O Fundo WE possui um olhar diferenciado pois será um dos fundos de investimento em startups com o maior grau de sofisticação e complexidade no mercado, pois combina a questão do propósito de apoiar o empreendedorismo feminino, observa as principais tecnologias habilitadoras no mercado, além de trazer várias corporações empresariais com seus desafios e, portanto, oportunidades de demanda e apoio segmentado em setores econômicos tais como finanças, varejo, indústria, construção, dentre outros”, ressaltou Moreira.

Mulheres na Inovação

Fundado em 2016, o Boletão facilita a jornada de pagamento dos boletos. No aplicativo, é possível reunir todos os boletos do usuário em um só e em uma única data mensal. Em breve, caso o usuário quiser pagar a dívida em dia posterior ou não tiver dinheiro disponível no vencimento, a plataforma vai disponibilizar crédito. No momento, a opção está em fase de testes. A empresa é comandada pelas sócias Ariane Tamara Pelicioli da Rosa, Aline Santiago Ferreira e foi uma dos vencedoras do programa Startup SP nesse ano.

A Fastdezine é resultado do desejo de Úrsula Aleixo de criar oportunidades e reconhecimento para designers brasileiros fora do Brasil. Criada em 2015, a startup entrega sob demanda peças de comunicação online e offline por meio de uma gestão otimizada de projetos via aplicativo. A empresa já qualificou mais de 400 profissionais, que são selecionados e coordenados por gestores para garantir qualidade, entrega no prazo e preço altamente competitivo. A marca é responsável pela produção de 1.500 projetos oferecidos para 200 clientes de 12 países. O programa Sebraetec viabilizou a evolução da plataforma.

Assessoria de Imprensa Sebrae

Telefone (61) 3348-7570 / (61) 3348-7754

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás