Ministério da Saúde disponibiliza informações on-line sobre tratamento das hepatites B e C

Painel do Ministério da Saúde vai trazer informações gerais sobre a doença, além do quantitativo de medicamentos distribuídos aos estados

Apopulação não precisa mais sair de casa para saber se a unidade de saúde mais próxima de sua casa tem ou não o tratamento para as hepatites B e C, ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O Ministério da Saúde acaba de disponibilizar na internet um painel informativo com todas as informações sobre a doença e o tratamento. Nele, é possível acessar o quantitativo de medicamentos distribuídos aos estados, além do número atualizado de pessoas em tratamento no Brasil. A iniciativa faz parte das estratégias do Programa Nacional para a Prevenção e Controle das Hepatites Virais. Acesse aqui. 

Painel Hepatites

No Painel, é possível acompanhar o número de tratamentos no Brasil. Em 2019, por exemplo, 37 mil pessoas estavam em tratamento contra a hepatite B e quase 36 mil foram tratadas para hepatite C. As informações do painel de Hepatites Virais serão atualizadas trimestralmente e, passarão por constantes aprimoramentos durante o ano de 2020.

No ano passado, o SUS distribuiu aproximadamente 13 milhões de doses de medicamentos usados no tratamento da hepatite B e mais de 12 milhões para hepatite C. Entre eles estão: alfapeginterferona, entecavir, lamivudina, tenofovir, sofosbuvir, daclatasvir, ledipasvir/sofosbuvir, velpatasvir/sofosbuvir, glevaprevir/pibrentasvir, ribavirina, entre outros. 

Hepatites no Brasil

Na última década, houve redução de 7% no número de casos de notificados da doença no País. Em 2018, foram registrados 42.383 casos de hepatites virais no Brasil. Em 2008, o número foi de 45.410 casos. Os dados são do Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais 2019, que apontou, ainda, queda de 9% no número de óbitos, saindo de 2.362 em 2007 para 2.156 em 2017.

Entre as hepatites, o tipo C da doença é a mais letal, com 26.167 casos notificados em 2018 no Brasil, com taxa de detecção de 13 casos por 100 mil habitantes. A doença é transmitida por sangue contaminado, sexo desprotegido e compartilhamento de objetos cortantes. O tratamento da doença é ofertado gratuitamente no SUS e cura mais de 95% dos casos.

Já com relação à hepatite B, foram registrados, no ano passado, 13.992 casos, o que representa 7 casos por 100 mil habitantes. A hepatite B pode ser transmitida pelo contato com sangue contaminado, sexo desprotegido, compartilhamento de objetos cortantes e de uso pessoal e de mãe para filho (transmissão vertical). O Ministério da Saúde oferta a vacina contra a hepatite B para todas as faixas etárias. O tratamento da doença evita complicações, como cirrose e câncer.

Com informações do Ministério da Saúde

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás