Centro de Mídias SP forma professores para a gravação das aulas

Ferramentas para a rede estadual permitem interação de docentes com estudantes por meio de vídeos, chats e enquetes

Inaugurado em 6 de abril para permitir que os 3,5 milhões de alunos da rede estadual de São Paulo tenham aulas durante a quarentena, o Centro de Mídias SP mantém a proposta pedagógica já adotada por meio do currículo paulista. Por meio dos aplicativos e nos canais digitais TV Educação e TV Univesp, há conteúdo para todos componentes curriculares da Educação Infantil até o Ensino Médio

A interação, seja por vídeo ou chat, é um dos destaques das ferramentas, com o objetivo voltado ao engajamento do aluno. “Os canais de interação aumentam à medida da idade do estudante. Para os menores, a interação é diferente, já que eles ainda estão se alfabetizando e precisar ser acompanhados pelos responsáveis durante o uso das ferramentas”, explica Bruna Waitman, da Coordenadoria Pedagógica (COPED), da Secretaria de Estado da Educação.

Para os alunos do Ensino Médio, há ainda a possibilidade de interações mais constantes e ativas por meio de vídeos e enquetes. Em algumas aulas, por exemplo, os professores pedem que os alunos mostrem os trabalhos que estão fazendo em casa por meio da câmera do celular.

Para todas as etapas de ensino, existe ainda o conteúdo “mão na massa”, que incentiva os estudantes a realizarem trabalhos manuais e proporem soluções para problemas reais.

Capacitação

Os professores que integram o Centro de Mídias SP passam por uma capacitação. A formação prevê orientações sobre a produção das aulas em vídeo, indicação de materiais que podem ser aproveitados como vídeos licenciados, como ser dinâmico e lidar com o tempo para que o resultado final seja atrativo.

Para os demais docentes da rede, as orientações sobre o teletrabalho e a utilização das ferramentas do Centro de Mídias SP foram repassadas durante o replanejamento realizado antes da retomada do ano letivo.

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás