Bolsa vai garantir internet para 3,5 mil alunos da Universidade Estadual de Goiás

O governador Ronaldo Caiado durante o lançamento de bolsas sociais da UEG: meta é dar condições para o jovem se conectar com a internet, como apoio financeiro para que permaneça na universidade

Anunciada também a retomada da Bolsa Permanência. Com investimentos de R$ 1,72 milhão, os dois programas terão editais abertos até o final do mês, beneficiando mais de 700 estudantes. 

O governador Ronaldo Caiado lançou, na manhã desta quarta-feira (23/9), no Palácio das Esmeraldas, em Goiânia, a Bolsa Conectividade e anunciou a retomada da Bolsa Permanência para garantir a continuidade e o acesso às aulas remotas da Universidade Estadual de Goiás (UEG) aos estudantes que estão em situação de vulnerabilidade econômica, agravada pela pandemia da Covid-19.

“A maioria dos alunos é de família de baixa renda e tem limitações. Hoje, criamos bolsas sociais tanto para dar condições para o jovem se conectar com a internet, como um apoio financeiro para que permaneça na universidade”, explicou, ao lado do reitor da instituição, professor Valter Gomes Campos.

Com investimento total de pouco mais de R$ 1 milhão, a Bolsa Conectividade garantirá três parcelas de R$ 100, de outubro a dezembro, para cada um dos cerca de 3,5 mil alunos que poderão ser contemplados, exclusivamente para contratação de planos de internet.

Já na Bolsa Permanência, o Governo de Goiás aportará recursos de R$ 720 mil para oferecer a até 600 universitários, R$ 400 por mês, também pelo mesmo período. “Muitos estudantes são bem preparados, mas não conseguem se manter com condições mínimas de dignidade”, frisou o governador sobre a importância do combate à evasão.

Os editais dos dois programas lançados nesta quarta-feira devem ser publicados até o final de setembro. Dentro do programa de bolsas, a universidade mantém outros editais previstos para a concessão de cerca de 4,5 mil bolsas, com investimento de R$ 3 milhões para incentivar a pesquisa e a docência.

Os recursos estão em um pacote de suplementação orçamentária, liberado pelo Governo de Goiás para a UEG, de R$ 5,5 milhões e que ainda inclui verbas para serviços administrativos, limpeza, reparos e manutenção das unidades universitárias e câmpus.

Reitor da Universidade Estadual de Goiás (UEG), professor Valter Gomes Campos afirmou que 78% dos discentes da instituição são oriundos de famílias com renda de até três salários mínimos. “Muitos tiveram sua situação agravada e precisam do auxílio, do olhar social da Universidade para que continuem seus estudos.”

Valter contou que está sendo promovida uma campanha para estimular a doação de equipamentos por parte de empresários e pessoas físicas. A ideia é receber dispositivos móveis, computadores e outros tipos de aparelhos para que os estudantes possam acessar as aulas e garantirem sua formação. “São ações que a Universidade empreende neste momento tão difícil que todos passamos, que é essa pandemia.”

Avanços

O secretário de Desenvolvimento e Inovação, Marcio Cesar Pereira, destacou que o lançamento da bolsa corrobora a preocupação da gestão Caiado, bem como a da UEG, com a Educação e o desenvolvimento da Ciência. Antes, em entrevista, pontuou que o percentual de alunos em vulnerabilidade social e/ou que não está em área de cobertura por operadoras de telefonia móvel é relevante.

“O que vier destas bolsas irá, inclusive, nos auxiliar no mapeamento, para dar continuidade ao trabalho, que fizemos há pouco, de instalação de internet satelital em assentamentos, junto com governo federal”, projetou.

Secretário-chefe da Governadoria, Adriano da Rocha Lima lembrou que, em gestões anteriores, a UEG estava entregue a interesses político-partidários. “A formação estava em quinto plano, mas conseguimos trazer resultados importantes. A caminhada não é fácil e está em andamento, com uma ampla reforma pedagógica”, frisou.

Quanto a ensino a distância, o secretário ressaltou que esta já uma realidade na educação pública, mas que há uma relação direta entre a conectividade e o desenvolvimento econômico. “Quanto mais pessoas com acesso à internet, mais há crescimento do PIB [Produto Interno Bruto]. A correlação entre esses dois indicadores é uniforme no mundo inteiro, portanto, a Bolsa Conectividade é fundamental para inclusão de alunos em vulnerabilidade”, completou.

O vice-governador Lincoln Tejota destacou que as ações encampadas pelo Governo de Goiás na UEG têm o poder disruptivo muito grande. “Elas podem transformar e dar um novo futuro para as pessoas. Estado só existe para mudar as condições de melhoria para a vida da população”, sublinhou.

Bolsas ofertadas pela UEG

Bolsa Conectividade

Garantirá aos alunos acesso à internet durante a pandemia. São 3,5 mil bolsas e o edital está previsto para sair até o final de setembro. Serão três parcelas mensais de R$ 100, por aluno contemplado, no período de outubro a dezembro de 2020

Bolsa Permanência

Visa propiciar a continuidade dos estudos de acadêmicos regularmente matriculados na UEG nos cursos de graduação, classificados em condição de vulnerabilidade socioeconômica. Benefício pode ser utilizado para aluguel social, transporte e alimentação. Serão três parcelas mensais de R$ 400, por aluno contemplado, no período de outubro a dezembro de 2020. Serão disponibilizadas até 600 bolsas.

Programa de Formação em Docência Universitária (PFDU)

Incentiva a participação de docentes da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) em atividades de ensino nos cursos de graduação da UEG, para aprimorar a formação continuada e aproximar a educação básica e a superior. Na primeira etapa serão 50 contemplados com bolsa de R$ 1.400, de outubro a dezembro de 2020. Os editais já foram lançados.

Bolsa de Incentivo à Docência e Acompanhamento ao Discente

Ofertada em parceria com a Capes, vai intensificar a formação prática nos cursos de licenciatura e promover a integração entre a educação básica e a educação superior. Nomes selecionados foram divulgados em agosto. São 25 alunos: 9 para Residência Pedagógica e 16 para Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid). A bolsa tem valor mensal de R$ 1.100,00, por aluno contemplado, no período de outubro a dezembro de 2020.

Bolsa de Iniciação Científica (PBIC)

Incentiva o desenvolvimento de plano de trabalho de iniciação científica. O projeto de pesquisa do professor a quem o aluno estará vinculado precisa estar formalmente cadastrado e aprovado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da UEG (PrP). São 400 bolsas no total. Primeiro edital já foi finalizado (330 bolsas), as 70 restantes estão com edital previsto para o final de setembro. Nesta etapa, serão selecionadas ações relacionadas com o pós-pandemia, em parceria com a Secretaria da Retomada. A bolsa mensal é de R$ 400, no período de outubro a dezembro de 2020.

Bolsa de Iniciação Tecnológica (PBIT)

Incentiva o desenvolvimento de plano de trabalho de iniciação tecnológica. São 50 bolsas no total; 25 serão de um novo edital (publicado até final de setembro) voltado para as ações relacionadas com o pós-pandemia, em parceria com a Secretaria da Retomada. Bolsa mensal de R$ 400, no período de outubro a dezembro.

Bolsas de Desenvolvimento Institucional (níveis I e III)

Incentiva a atuação de discentes em atividades de caráter acadêmico e formativas nos laboratórios dos Programas de Pós-graduação da Universidade e não incluídas nas demais modalidades de Bolsas da UEG. Já foram selecionados (por edital) 55 alunos dos cursos regulares de graduação (Nível I – valor mensal da bolsa R$ 400); e 10 alunos de Pós-Graduação Stricto Sensu (Nível III – valor mensal da bolsa R$ 1.100), 65 no total, para o período de outubro a dezembro.

Bolsa para o Stricto Sensu – Mestrado

Viabiliza a permanência em tempo integral, em primeiro lugar, de alunos em situação de vulnerabilidade social e econômica e, em segundo lugar, de alunos com melhor desempenho no processo seletivo. Assim, garante condições adequadas ao desenvolvimento de suas atividades e à prática docente. Edital com 35 bolsas será lançado até o final de setembro. Valor mensal de R$ 1.500, por aluno contemplado, no período de outubro a dezembro de 2020.

Bolsa para o Stricto Sensu – Doutorado

Incentiva o desenvolvimento de teses de estudantes vinculados aos cursos de stricto sensu da UEG e a prática docente. Edital com 5 bolsas será lançado até o final de setembro. Valor mensal de R$ 2.500, por aluno contemplado, no período de outubro a dezembro de 2020.

Gov GO

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás