Capacitação: Curso ABC abre segundo módulo

O capítulo aborda as bases neurobiológicas da leitura  

Escrito pela professora Marta Martins, do Instituto Universitário de Lisboa (ISTCE), o capítulo apresenta noções básicas sobre o cérebro humano, seu funcionamento, os sistemas neuronais que suportam a leitura e as alterações associadas a défices leitores. Além disso, mostra as influências da genética nessas dificuldades e a contribuição das neurociências para as práticas educativas.

A pesquisadora acredita que “os achados neuronais, combinados com informações genética e familiar e dados comportamentais de competência pré-leitura relevantes podem facilitar a identificação e a intervenção precoce e preventiva no défice”. Para ela, esse processo permitirá não apenas melhorar a leitura das crianças, mas também a sua vivência escolar e familiar, além da própria dinâmica educativa.

O curso on-line Alfabetização Baseada na Ciência (ABC) teve seu segundo módulo lançado no dia 25 de janeiro, com o tema ‘As bases neurobiológicas da leitura’. Nessa etapa, entre outros assuntos, os cursistas estudarão sobre o cérebro humano, as relações entre neurociência e a leitura e marcadores neuronais do desenvolvimento.

Carlos Nadalim, secretário de Alfabetização do MEC e coordenador-geral do curso, aconselha a todos que têm acesso à capacitação, que “aproveitem a riqueza dos materiais” oferecidos. Ele lembra que o curso, com padrão internacional, é reflexo da “preocupação do governo federal com a formação de nossos profissionais da educação que atuam na alfabetização”.

Curso ABC

O curso Alfabetização Baseada na Ciência é uma ação do Ministério da Educação (MEC), por meio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e da Secretaria de Alfabetização (Sealf). Com 180 mil vagas, o treinamento é voltado para alfabetizadores infantis e estudantes de licenciatura. As inscrições continuam abertas no Ambiente Virtual do MEC (Avamec).

A capacitação é parte do programa Tempo de Aprender e resultado da parceria internacional entre a CAPES, a Sealf, a Universidade Aberta de Portugal (UAB), o Instituto Politécnico do Porto e a Universidade do Porto.

Assessoria de Comunicação Social da Capes

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás