Sonho Empreendedor: Como montar um pet shop ou loja de animais

Sebrae dá dicas para quem está interessado em investir no mercado pet. Segmento tem boas perspectivas mesmo com a pandemia

O amor dos brasileiros pelos bichinhos de estimação transformou o país no segundo maior do mundo em número de pets. Durante a pandemia, a companhia de animais de estimação tornou-se uma forma de amenizar o isolamento. Mesmo com a Covid-19, o segmento conseguiu se manter com os menores índices de queda no faturamento. Na última pesquisa realizada pelo Sebrae, em parceria com a FGV, sobre os impactos da pandemia nos pequenos negócios, o segmento apresentou 31% de diminuição do faturamento. Entretanto, a média geral das perdas para os pequenos negócios encontra-se na faixa de 39%. 

O mercado de pet shop tem evoluído constantemente atraindo atenção de quem quer ter seu próprio negócio. Para ter sucesso, o empreendedor precisa estar ligado nas inovações e novas tendências, pois um pet shop não é mais apenas uma loja para venda de ração e produtos de higiene. Além disso, deve ter em mente que os clientes são conquistados pelo carinho e dedicação aos seus bichinhos. 

Pensando em quem quer se tornar um empreendedor em 2021, mas não sabe por onde começar, o Sebrae preparou cinco passos para montar uma loja de animais ou pet shop. São dicas e orientações para você planejar o seu negócio e realizar o seu sonho empreendedor. As informações completas você pode encontrar na página “Ideias de Negócios” – segmento Loja de animais ou pet shop   ou acompanhar uma série de vídeos produzidos especialmente para tratar do assunto.

Veja abaixo 5 dicas para realizar o sonho de ser dono de uma loja de animais ou pet shop 

1. Antes de investir, saiba planejar os gastos, criar um plano de negócios e fazer uma gestão profissional 

O empreendedor que deseja atuar neste segmento pode começar com um baixo investimento, formalizando-se como Microempreendedor Individual (MEI) e caso julgue necessário, poderá contratar ainda um funcionário para ajudá-lo nos procedimentos do pet shop. No entanto, antes de decidir investir neste tipo de negócio, é importante quantificar todos os gastos vinculados à abertura da nova empresa. Para isso, recomenda-se a criação de um plano de negócios. Saiba que o montante investido vai variar de acordo com os produtos ofertados e serviços oferecidos, como por exemplo, banho, tosa, embelezamento, higiene e tosquia. No campo de produtos, há uma infinidade de acessórios e mimos que podem ser úteis, como focinheiras, coleiras, casas e camas para cães e gatos. 

2. Fique atento às normas estabelecidas para montar a estrutura de serviços específicos

É possível começar um pet shop até mesmo na sua residência, desde que observadas as exigências determinadas pela fiscalização do seu município. A estrutura para um pet shop vai depender da dimensão do empreendimento e dos serviços que serão oferecidos, de qualquer forma, o ideal é que ela tenha área para recepção, atendimento e comercial; consultório veterinário; espaço para banho e tosa; alojamento de animais e depósito. No caso do serviço de banho e tosa, por exemplo, a área deverá ser montada de acordo com a Resolução nº 1069/2014 e atender ao Decreto nº 40.400/1995. Saiba que o descumprimento das exigências legais pode gerar multa e até o fechamento do seu estabelecimento. 

3. Contrate profissionais qualificados e com competências específicas para o negócio 

Existem determinações legais que influenciam na formação de uma equipe para uma loja de animais. O Decreto nº 40.400/1995 determina, por exemplo, que caso o estabelecimento venda produtos ou ofereça serviços veterinários, é necessário a existência de um médico veterinário como responsável técnico. A depender do tamanho do seu negócio, a loja também necessitará de um administrador, atendente, tosador e banhista, mas como a empresa está começando, um mesmo funcionário poderá desempenhar mais de uma função. Conforme a Resolução nº 1069/2014, os colaboradores responsáveis pelo banho e tosa devem ter, obrigatoriamente, curso na área, com conhecimento de técnicas do trabalho. 

4. Aposte na diversificação e agregue valor ao seu negócio 

Um empreendimento sem diferencial será certamente suprimido pela concorrência. Por isso, esteja sempre atento às oportunidades, especialmente àquelas que podem diversificar e agregar valor ao seu negócio. Neste caso, busque inovar e desenvolver diferenciais para o seu empreendimento. Aposte em produtos e serviços diferenciados e não se limite à venda de itens comuns. Ofereça também opções variadas de serviços, possibilitando que o cliente encontre tudo o que precisa. Uma tendência que vem do mercado americano, e já chegou ao país, é o pet móvel que possibilita o atendimento na casa do cliente. Os veículos são adaptados com todos os equipamentos para a estética e higiene, além de espaço para atendimento veterinário. E lembre-se: mais importante que concorrer preço é investir em relacionamento com o cliente.

5. Conheça e entenda todos os processos produtivos de um pet shop 

É fundamental que o dono do negócio conheça e entenda todos os processos produtivos de um pet shop. Alguns deles são essenciais, independentemente do tamanho e serviços prestados, como por exemplo, a precificação, a agenda de serviços e cálculo do tempo médios dos serviços. Para um pet shop, a agenda é uma ferramenta imprescindível para a organização do tempo de prestação dos serviços. O agendamento de horários permite ao empreendedor planejar com antecedência os atendimentos, a necessidade de profissionais e muitas outras vantagens que se traduzem na satisfação do cliente. Já o conhecimento prévio do tempo médio de cada serviço oferecido permite reduzir o risco com imprevistos que podem afetar a relação de confiança com o cliente. Além do mais, conhecer o tempo médio é uma das necessidades estabelecer a precificação.

Por Agência Sebrae de Notícias

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás