Imprudência no trânsito é questão de saúde pública, diz secretário de Mobilidade

Em 2020, ano de pandemia, mesmo com as medidas de isolamento social, foram aplicadas 78.036 multas de trânsito em Goiânia até setembro 

“A imprudência no trânsito é uma questão de saúde pública, pelo grande número de mortes, traumas irreversíveis e pessoas feridas que precisam de atendimento médico”. A afirmação é do secretário-executivo de Mobilidade de Goiânia, Horácio Ferreira de Melo, em entrevista ontem, 9, ao programa O Mundo em Sua Casa das rádios Brasil Central AM e RBC FM. Conforme disse, 2020 foi um ano atípico por causa da pandemia, com muitas medidas de restrição à movimentação das pessoas e, mesmo assim, foram aplicadas 78.036 até setembro, número extremamente elevado.

Horácio Melo observou que a conscientização dos condutores é a saída para melhorar o trânsito e a mobilidade das pessoas. “Quando todos compreenderem que as regras legais precisam ser observadas, que os direitos dos outros têm de ser respeitados, certamente teremos um trânsito melhor”, asseverou. Para o secretário, as medidas punitivas são necessárias e a legislação é bem equilibrada, com multas que vão de leves a gravíssimas e cobranças de valores conforme a gravidade de cada uma. “É um prejuízo que a pessoa tem por culpa própria, pelas atitudes de desrespeito às leis”, reforçou Melo.

O secretário de Mobilidade assegurou também que a prefeitura faz a sua parte, tanto nas operações educativas quanto na melhoria contínua da infraestrutura viária. “Nos últimos anos tivemos grande volume de obras que já melhorara e vão melhorar a mobilidade, chegou o asfalto novo a inúmeras ruas e avenidas da Capital, houve revitalização das faixas de pedestres, melhoria da sinalização e agora a criação do espaço motobox em grandes avenidas e ruas arteriais, tudo com o objetivo de reduzir conflitos e acidentes no trânsito envolvendo veículos e motos”, finalizou.

ABC Digital

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás