Corpo de Bombeiros alerta para risco de afogamentos no período de Carnaval

Displicência, excesso de confiança, desafio ao desconhecido, travessia de longos trechos, uso de roupas pesadas e falta de colete salva-vidas são os principais fatores que ocasionam os afogamentos

Em consequência da pandemia do novo coronavírus, o Carnaval deste ano foi suspenso. O Governo Estadual e a maioria dos municípios também retiraram o ponto facultativo para evitar festejos e aglomerações. Esse novo quadro leva muitas pessoas a buscarem alternativas e uma delas é frequentar rios, lagos, represas, clubes, pousadas e hotéis-fazenda, o que aumenta o risco de afogamentos, especialmente quando ocorre o consumo de bebida alcoólica.

O alerta foi feito ontem, 15, pelo capitão Freitas, do Corpo de Bombeiros, em entrevista ao programa O Mundo em Sua Casa, das rádios Brasil Central AM e RBC FM. Conforme disse, a busca de diversão ao ar livre e em espaços abertos acaba atraindo muitas pessoas. “O Corpo de Bombeiros está atento nos principais pontos turísticos do Estado. Mas as pessoas precisam ter consciência, deixando de entrar na água principalmente se tiverem bebido”, aconselhou.

As crianças exigem vigilância permanente. Elas precisam ser orientadas pelos pais e responsáveis a não entrarem em locais profundos, em correntezas, assim como devem evitar brincadeiras arriscadas e usar sempre o colete salva-vidas, reforçou o capitão Freitas. Os afogamentos ocorrem também em piscinas, principalmente quando os pais se descuidam. O Corpo de Bombeiros se mantém em alerta permanente, atuando nos principais balneários e pronto para ser acionado pelo telefone 193.

ABC Digital

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás