Secretário de Governo explica o motivo da proibição de música ao vivo em Goiânia

Andrey Azeredo disse à RBC que a nova medida, que entra em vigor nesta quinta-feira, tem dois fundamentos: reduzir a atração de pessoas e evitar a concentração de clientes dentro de bares e restaurantes 

Decreto da Prefeitura de Goiânia, que entrou em vigor nesta quinta-feira, 25, traz novas medidas para conter o avanço da Covid-19 em Goiânia. O horário de fechamento de bares e restaurantes foi antecipado em uma hora – de 23h para as 22 h; e a música, ao vivo ou mecânica, está proibida nesses estabelecimentos. Isso tem provocado protestos dos músicos da capital.

Em entrevista ao programa O Mundo em sua Casa de hoje, o secretário municipal de Governo de Goiânia, Andrey Azeredo, explicou o motivo da proibição de música nesses estabelecimentos. Segundo ponderou, todos sabem que apresentações de música ao vivo são um atrativo e geram aglomeração, fazem que maior número de pessoas fique em determinado estabelecimento.

Propagação

Além disso, lembrou, foi comprovado que em bares e restaurantes as pessoas não costumam usar máscara. Com a música, na maioria das vezes, elas falam mais alto e mais próximo para serem ouvidas ou entendidas, e podem contribuir para a propagação do coronavírus. “A medida tem dois fundamentos: reduzir a atração de pessoas e evitar a maior concentração de pessoas dentro dos estabelecimentos”, afirmou.

De acordo com Andrey Azeredo, o novo decreto municipal visa conter a circulação de pessoas, mas com a cidade funcionando, mesmo em situação de excepcionalidade como agora. Para garantir o mínimo de condição de funcionamento, salientou, foram tomadas algumas decisões, e uma delas está relacionada ao que gera a permanência de maior de número de pessoas em determinados locais.

Rua 44

Conforme o secretário, o prefeito Rogério Cruz abriu o diálogo com todos os segmentos, desde o primeiro momento em que soube da nota técnica da Secretaria Estadual de Saúde que solicitava medidas mais restritivas. Um diálogo “tanto transparente como sereno com todos”, afirmou. E o primeiro a ser ouvido foi o setor empresarial. Citou que, a partir de hoje, os shoppings e centros comerciais da Região da 44 passam a ter horário diferenciado, das 7 às 15 horas, e só abrirão às quartas, quintas, sextas e sábados.

“Com essa medida, em parceria com os empresários e lojistas da Rua 44, nós temos a convicção de que teremos uma redução da circulação de pessoas, e uma variação na demanda do transporte público. E tudo isso contribui para que nós possamos buscar a redução da taxa de contaminação da Covid-19 em Goiânia”, afirmou.

Caravanas

Andrey disse ainda que as caravanas de compradores estão permitidas. E em parceria com a Associação de Empresários da 44 (ERA 44), deverá começar hoje, ou no mais tardar amanhã, a testagem de Covid dessas pessoas, “garantindo que todos os que cheguem a Goiânia não sejam vetores de transmissão do coronavírus”.

O secretário fez um apelo à conscientização de todos os goianienses e reiterou que a Prefeitura vai intensificar a fiscalização. Entretanto, destacou: “o maior fiscal do cidadão é a sua consciência”.

ABC Digital

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás