Empresas: Startup da construção civil ganha mercado internacional

Mercado é carente de propostas inovadoras para a área

Exportar um produto ou serviço é um dos desafios das micro e pequenas empresas e exige preparação e planejamento. Quando se fala em construção civil, o obstáculo é ainda maior, mas com inovação e dedicação, empresas de software, arquitetos e consultoria do segmento têm conseguido superar as dificuldades de acessar os mercados internacionais e exportar seus serviços para um mercado mundial, que ainda tem espaço para adquirir novas ideias.

“Uma proposta inovadora, que reduza o tempo de execução de obras e que diminua os custos, tem grandes chances de ganhar o mercado internacional”, afirma o analista de Competitividade do Sebrae, Enio Queijada. De acordo com ele, a participação das micro e pequenas empresas do ramo da construção civil ainda é baixa, mas existe demanda do mercado internacional para ampliar a venda de serviços desse segmento para outros países.

E foi justamente com uma proposta inovadora que o amapaense Antonio Fascio tem conquistado cada vez mais o mercado internacional. Em 2015, ele e outros empreendedores fundaram a startup Orçafascio Soluções para Engenharia, fornecedora do software de orçamento de obras do Brasil por assinatura. Atualmente, o programa desenvolvido é acessado por mais de 80 países mensalmente, entre eles Estados Unidos, Angola, Moçambique e Portugal. “Nossas vendas são pela internet e estamos nos preparando para abrir um escritório físico nos Estados Unidos”, afirma o empreendedor.

Nascido em uma família de empreendedores do ramo da construção civil, Fascio se formou em áreas ligadas à tecnologia e resolveu unir as duas atividades em um produto que começou fazendo orçamento de obras e que tem evoluído todos os anos e agregado novos serviços. “Quando colocamos nosso produto na internet já houve uma grande procura pelo serviço, mesmo sem termos trabalhado com divulgação. Hoje, além de realizar orçamentos das obras, o software também tem módulos que fazem projeto e gerenciamento, por exemplo”, explica.

Uma das dicas que ele dá para quem quer vender seus serviços da construção civil para o exterior é que os empreendedores foquem no produto que oferecem. “A construção civil é carente de bons produtos em qualquer lugar do mundo. Somos uma empresa muito focada na qualidade dos nossos produtos e sempre pensamos em inovações”, comenta Fascio, que comemora que mesmo com a pandemia a empresa tem batido recordes de faturamento e de crescimento, chegando a dobrar de tamanho a cada ano.

Por Agência Sebrae de notícias

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás