ASN – Ambulatório das pequenas empresas

A crise imposta pela pandemia da Covid-19, além de ceifar milhares de vidas, provoca uma estagnação nas atividades empresariais, principalmente naquelas formadas pelas micro e pequenas empresas

Há mais de um ano, a crise imposta pela pandemia da Covid-19, além de ceifar milhares de vidas, provoca uma estagnação nas atividades empresariais, principalmente naquelas formadas pelas micro e pequenas empresas (MPE). Pesquisa do Sebrae ‘O impacto da pandemia de coronavírus nos pequenos negócios’ revela que 65% das empresas teve em 2020 um faturamento anual pior do que 2019, com impactos significativos em segmentos como academias, escolas, transporte, moda, artesanato, alimentação, beleza, economia criativa e turismo.

O mesmo estudo revela que 54% dos empresários estão em locais com restrição de mobilidade social, refletindo em demissões e no aumento das dívidas e empréstimos. Ainda mais preocupante é a percepção do empresário, de que a situação da economia só deve voltar ao normal em julho de 2022.

Nesse cenário, o Sebrae entende que não há saída sem o empreendedorismo. O direcionamento estratégico da instituição posiciona-a como uma plataforma de soluções, promotora do desenvolvimento dos territórios, tendo uma rede de alta performance para prestar atendimento efetivo aos 644 mil empreendimentos em Goiás.

Para vencer a pandemia, o Sebrae também criou protocolos de segurança, onde os donos de micro e pequenas empresas podem encontrar e-books, vídeos e outros conteúdos personalizados para diversas atividades econômicas. Além disso, conta com uma grande variedade de cursos, capacitações e consultorias, sendo a maioria gratuitos.

A instituição mantém escritórios, agências e postos de atendimento em 36 municípios goianos, no qual são prestados serviços essenciais à sobrevivência das micro e pequenas empresas, justamente no momento que mais precisam. As unidades onde são feitos os atendimentos presenciais estão respeitando rigorosamente os protocolos de saúde, segurança e distanciamento social, com ambientes seguros e higienizados.

Nesse contexto, Sebrae se consolida como atividade essencial à economia, seja por meio das ações de políticas públicas em favor da retomada do emprego, seja na qualificação e capacitação dos empreendedores, no incentivo às atividades mais impactadas pela pandemia, ou mesmo no processo de retomada do desenvolvimento econômico de Goiás.

Assim como a vacina é eficaz para o combate ao vírus, o Sebrae é essencial para fortalecer o empreendedorismo, aumentando consideravelmente a chance de sobrevivência das micro e pequenas empresas.

Há mais de um ano, a crise imposta pela pandemia da Covid-19, além de ceifar milhares de vidas, provoca uma estagnação nas atividades empresariais, principalmente naquelas formadas pelas micro e pequenas empresas (MPE). Pesquisa do Sebrae ‘O impacto da pandemia de coronavírus nos pequenos negócios’ revela que 65% das empresas teve em 2020 um faturamento anual pior do que 2019, com impactos significativos em segmentos como academias, escolas, transporte, moda, artesanato, alimentação, beleza, economia criativa e turismo.

O mesmo estudo revela que 54% dos empresários estão em locais com restrição de mobilidade social, refletindo em demissões e no aumento das dívidas e empréstimos. Ainda mais preocupante é a percepção do empresário, de que a situação da economia só deve voltar ao normal em julho de 2022.

Nesse cenário, o Sebrae entende que não há saída sem o empreendedorismo. O direcionamento estratégico da instituição posiciona-a como uma plataforma de soluções, promotora do desenvolvimento dos territórios, tendo uma rede de alta performance para prestar atendimento efetivo aos 644 mil empreendimentos em Goiás.

Para vencer a pandemia, o Sebrae também criou protocolos de segurança, onde os donos de micro e pequenas empresas podem encontrar e-books, vídeos e outros conteúdos personalizados para diversas atividades econômicas. Além disso, conta com uma grande variedade de cursos, capacitações e consultorias, sendo a maioria gratuitos.

A instituição mantém escritórios, agências e postos de atendimento em 36 municípios goianos, no qual são prestados serviços essenciais à sobrevivência das micro e pequenas empresas, justamente no momento que mais precisam. As unidades onde são feitos os atendimentos presenciais estão respeitando rigorosamente os protocolos de saúde, segurança e distanciamento social, com ambientes seguros e higienizados.

Nesse contexto, Sebrae se consolida como atividade essencial à economia, seja por meio das ações de políticas públicas em favor da retomada do emprego, seja na qualificação e capacitação dos empreendedores, no incentivo às atividades mais impactadas pela pandemia, ou mesmo no processo de retomada do desenvolvimento econômico de Goiás.

Assim como a vacina é eficaz para o combate ao vírus, o Sebrae é essencial para fortalecer o empreendedorismo, aumentando consideravelmente a chance de sobrevivência das micro e pequenas empresas.

Fernando de Paula Gomes Ferreira
Diretor-superintendente do Sebrae Goiás

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás