Entretenimento: RBC FM estreia “Festa de Arromba”, programa com músicas da Jovem Guarda

Apresentado por Débora Orsida e produzido e apresentado por Paulo Beringhs, Festa de Arromba irá ao ar todo sábado, das 19 às 21 horas

A RBC FM estreia no sábado, 1º, o programa musical denominado Festa de Arromba, com uma programação voltada exclusivamente para a música brasileira da Jovem Guarda, que teve seu auge nas décadas de 1960/70 e adentrou também a década de 80, com muito sucesso entre o público dessa época, especialmente no rádio e depois também na televisão. O programa terá duas horas de duração, das 19 às 21 horas, e terá como apresentadora Débora Orsida e como programador musical o jornalista Paulo Beringhs.

O objetivo do programa, segundo Débora, é o de lembrar de “um movimento que não foi apenas musical, mas que ditou moda, comportamento e um novo estilo de vida”. As décadas de 1960 e 70 foram marcadas por movimentos mundiais de libertação da juventude, que suplantaram preconceitos e acrescentaram uma forma alternativa de enfrentar a vida.  

“Para mim é uma alegria apresentar o Festa de Arromba porque, mesmo eu não tendo vivido nessa época, essas foram as músicas que meus pais ouviam na minha casa, portanto fazem parte das lembranças da minha infância e eu tenho certeza que todo mundo que curtiu os anos 60, 70 vão recordar e, acima de tudo, se divertir com essa nova programação da RBC FM. E mesmo aqueles que, como eu, não viveram a Jovem Guarda, vão ter a oportunidade de ouvir música boa, alto astral, pra dançar e cantar junto”, afirmou Débora Orsida.

Paulo Beringhs

Paulo Beringhs disse que para ele foi “um prazer muito grande receber o convite do presidente da Agência Brasil Central, Reginaldo Júnior, e fazer parte, ainda que de forma colaborativa, desse projeto que resgata as músicas da Jovem Guarda”, que ele viveu na adolescência, época em que o programa Jovem Guarda foi lançado na TV Record. Salientou que esse movimento faz parte de suas memórias afetivas que persistem até hoje, “fazendo com que a gente se lembre das coisas boas que viveu”.

Disse ainda que teve a oportunidade de conhecer e trazer muitos dos integrantes da Jovem Guarda para fazer show em Goiânia e sempre manteve com eles uma relação muito boa. Destacou, por exemplo, a relação com Leno e Lílian e Erasmo Carlos, “uma pessoa maravilhosa”. Segundo Paulo, essas pessoas viveram uma época que passou por grandes transformações em todos os sentidos e por isso mesmo “a música viveu um período muito pródigo”.

Objetivo

Informou que conviveu com o pessoal da Jovem Guarda, da Bossa Nova e pegou também parte da Velha guarda e movimentos como Tropicália e os festivais, entre outros. “Tive e tenho o privilégio de dizer que eu vivi e vivo essa época, porque costumo recordar isso em casa também” e nos finais de semana se diverte ouvindo essas músicas e curtindo o lazer. Observou que essa foi exatamente a intenção do Reginaldo Júnior, quando pensou e propôs a criação de um programa da Jovem Guarda e o convidou para ser uma espécie de programador musical.

“Acabou que tive uma participação a mais que isso, com a Débora, porque quando ela foi gravar me puxou pro estúdio e acabei fazendo comentários, o que resultou numa parceria muito interessante, entre mim, Débora e toda a equipe, como o Vanderlei Santana, que é o operador e editor”. Salientou que tem certeza que, pela liberdade e espontaneidade de fazer o programa, o ouvinte vai gostar muito, “porque a música da Jovem Guarda é muito alegre, mesmo as músicas românticas que são um convite a que as pessoas dancem nesse momento tão difícil de pandemia”.

ABC Digital

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás