Empresas: Histórias de sucesso marcam o lançamento da Feira do Empreendedor 2021

Os empresários Alexandre Costa e Nina Silva falaram sobre suas trajetórias como empreendedores 

O Sebrae realiza, entre os dias 23 e 27 de outubro de 2021, a 1ª Feira do Empreendedor nacional. A iniciativa será a maior já realizada no mundo, com uma expectativa de mais de 100 mil visitantes, 580 expositores e centenas de atividades de orientação e capacitação voltadas ao público que pretende abrir o próprio negócio ou já é dono de uma pequena empresa. Nesta terça-feira (5), um evento online marcou o lançamento da Feira e contou com as presenças de Tirso Meirelles, presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae SP; Carlos Melles, presidente do Sebrae Nacional, além dos empresários Alexandre Costa (Cacau Show) e Nina Silva (do Movimento Black Money), que falaram sobre suas trajetórias como empreendedores.

Tirso Meireles – “Nós estamos consagrando esse mês de outubro ao empreendedorismo. A Feira, que vai reunir as unidades do Sebrae dos 27 estados, será uma contribuição importante para o reaquecimento da nossa economia”. 

Carlos Melles – “A Feira, com mais de 140 horas de cursos e 100 mil participantes distribuídos em várias arenas e ambientes virtuais, será uma oportunidade especial para todos que pretendem empreender. O nosso evento chega em um momento especial em que – segundo pesquisas do Sebrae – o Brasil bate recorde na taxa de empreendedorismo potencial. Nesse sentido, o tema da Feira não poderia ser mais oportuno: Empreender é para todos”.

Confira alguns destaques das participações de Alexandre Costa e Nina Silva

Alexandre Costa

O empresário comenta que começou a empreender em 1988, aos 17 anos, quando assumiu a responsabilidade pelo negócio iniciado pela mãe, de comercialização de chocolate a partir de uma rede de revendedoras.

O momento da virada foi quando precisou atender um volume de encomendas às vésperas da Páscoa e não encontrou uma fábrica que pudesse fazer a entrega. “Eu admiti que tinha um problema para resolver. Eu precisava entregar 2 mil ovos de Páscoa em 7 dias e fui atrás de uma solução. Com 500 dólares emprestados de um tio, comprei barras de chocolate e fui fazer eu mesmo os ovos”, comenta.

Alexandre relembra que nos primeiros anos como empreendedor, ele vendia os chocolates de manhã e com o dinheiro apurado comprava mais matéria prima para preparar mais produtos à noite, que eram comercializados no dia seguinte.  Nesse ciclo, ele foi conquistando mercado, inicialmente na Zona Oeste de São Paulo e depois em todo o país.

Três décadas depois, a empresa conta com quase 3 mil lojas, emprega 12 mil pessoas e está prestes a inaugurar um hotel temático totalmente voltado ao universo do chocolate. Somente em 2021, a Cacau Show deve alcançar a marca de 500 novas lojas abertas.

A filosofia da empresa, segundo Alexandre, e que explica o sucesso do negócio é o seu propósito: “Nós vivemos para juntos tocar a vida das pessoas através de experiências”, comenta.  

Nina Silva

A empresária conta que a sua história como empreendedora surge da necessidade de quebrar as estruturas que limitavam o seu crescimento como mulher e negra. Com uma carreira bem-sucedida em grandes empresas de tecnologia, Nina se questionava por que não se sentia pertencente àqueles espaços.

Foi quando, juntamente com seu sócio, surgiu a ideia de criar uma consultoria para a inserção da comunidade negra. O Movimento Black Money é um hub de inovação voltado à transformação do ecossistema empreendedor negro, com foco em comunicação, educação e geração de negócios pretos. Nina ressalta a força e representatividade do negro na economia: “As pessoas pretas são 51% dos pequenos negócios e movimentam R$ 1.9 trilhão na economia”, comenta.

Ela deu a dica de que qualquer nova ideia precisa ser adaptável ao digital. É o que ela chama de “Digital First”.  “O empresário precisa recriar, no ambiente digital, a comunidade que existe em torno do seu negócio físico”, diz Nina. Ela avalia que é fundamental que os empresários usem a linguagem e a estratégia adequada para cada rede específica, mas não descuidem de terem seus canais próprios. “É importante não criar dependência”, conclui.

Ela ressaltou ainda a importância de as empresas criarem ambientes de trabalho plurais e diversos: “Pessoas diferentes, com histórias de vida diversas, causam inquietação, que gera ambientes de trabalhos criativos. Furem suas bolhas. Comecem a ouvir pensamentos diferentes dos seus”, recomenda. “Empresas com maior diversidade étnica e racial lucram 35% a mais”, comenta Nina, citando dados de um estudo da McKinsey & Company.

O que encontrar na Feira do Empreendedor

Durante os cinco dias do evento, das 10h às 20h, o público contar com uma programação diversificada, com muita informação e oportunidades de negócio, totalmente gratuita e 100% online.

A Feira do Empreendedor será realizada na plataforma de realidade virtual Sebrae Experience, que permite uma navegação em ambiente 3D fácil, intuitiva, com acesso imediato aos expositores, conteúdos e soluções para os pequenos negócios. Com poucos cliques, os empreendedores também poderão fazer contato com o atendimento remoto e conversar com os consultores do Sebrae, disponíveis para tirar dúvidas e passar orientações.

Entre os assuntos que serão tratados nas dezenas de palestras previstas, estão temas como: finanças, vendas, atuação na internet, inserção no mercado internacional, MEI, entre outros.

Além das apresentações de especialistas, a Feira também vai contar com a realização de Rodadas de Negócios Virtuais, onde empresas terão a oportunidade de negociar diretamente seus produtos e serviços. Nas Rodadas, potenciais compradores e vendedores se reúnem de forma online para fazer transações comerciais conforme interesses em comum. A previsão é que sejam realizadas cerca de 300 reuniões envolvendo 260 participantes. Outra atração da Feira será a Vitrine, um formato novo para o empreendedor apresentar sua marca, produtos e serviços ao público, trocar cartões de visita virtuais e já encaminhar negociações.

Conheça a Plataforma da Feira do Empreendedor. Clique aqui.

Por Agência Sebrae de notícias

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás