Economia e negócios: Brasil registra recorde em abertura de empresas no 2º quadrimestre, com aumento de 26,5% em relação ao ano passado

Entre maio e agosto deste ano, o país registrou a abertura de 1,4 milhão de novos negócios, aumento de 26,5% em relação ao mesmo período de 2020

Os dados são referentes aos meses de maio a agosto de 2021. – Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O Brasil registrou um recorde de abertura de empresas em um período de quatro meses. Entre maio e agosto deste ano foram 1,4 milhão de novos negócios. Os dados são do Boletim do Mapa de Empresas, do Ministério da Economia.

No segundo quadrimestre de 2021 foram criados 1.420.782 CNPJs (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) e fechados 484.553, o que resultou num saldo positivo para o período de 936.229 empresas em funcionamento. O total de empresas ativas no Brasil é de 18.440.986.

“É um recorde na história do Brasil. Nunca num segundo quadrimestre do ano foram abertas tantas novas empresas no país”, ressaltou o diretor do Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração (Drei), André Santa Cruz.

Os dados dos meses de maio a agosto de 2021 representam aumento de 1,9% em relação ao 1º quadrimestre deste ano, quando foram abertas 1.392.758 empresas. Já quando a comparação é com o mesmo período de 2020, o crescimento chega a 26,5%.

Entre as explicações para o crescimento do número de empresas estão as ações de transformação digital de serviços públicos, promovidas pelo Governo Federal. Entre as ferramentas está a assinatura eletrônica da plataforma gov.br para facilitar a abertura de negócio, o que torna o processo mais simples e ágil. Toda a documentação de órgãos federais é fornecida pela plataforma, o que dispensa que o cidadão tenha que se dirigir a um posto de atendimento para obter os documentos.

Além disso, as Juntas Comerciais dos estados também estão 100% digitalizadas. “Abrir uma empresa hoje é muito rápido, haja vista que nós temos hoje as Juntas 100% digitais, onde o empresário ou o contador entram num portal e ali já tem todos os serviços, todas as instruções de como deve fazer tornando bem fácil, bem célere”, disse a presidente da Federação Nacional das Juntas Comerciais (Fenaju), Alzenir Porto.

Ranking

A região Norte foi destaque na abertura de empresas no 2º quadrimestre, com quatro estados entre os cinco primeiros no ranking que mede o crescimento percentual de negócios abertos. O Acre foi o que apresentou o maior crescimento percentual no período – aumento de 26,6% em relação aos primeiros meses de 2021, e de 41,7% quando comparado com o segundo quadrimestre de 2020. Em seguida estão os estados do Amapá, Rondônia, Alagoas e Roraima.

Atividades

A atividade econômica que representou o maior número de novos negócios foi a de comércio varejista de artigos de vestuário e acessórios, com 82.943 novas empresas abertas e aumento de 11% em relação aos primeiros meses de 2021. Outros ramos que tiveram destaque foram os de promoção de vendas (67.888); cabeleireiros, manicure e pedicure (46.137 abertas) e obras de alvenaria (45.957).

Tempo

O Brasil também vem diminuindo o tempo para abertura de empresas. A média registrada no segundo quadrimestre de 2021 foi de dois dias e 16 horas – 13 horas a menos do que o registrado nos primeiros quatro meses do ano. Se comparado com o mesmo período de 2020, houve uma redução de cinco horas.

“Contribui muito para essa redução no tempo de abertura de empresas, o uso da assinatura eletrônica avançada do gov.br. É uma ferramenta importantíssima já que as Juntas Comerciais hoje usam processo digital. Então, usar a assinatura eletrônica avançada do Gov.br para formalização dos novos negócios reduz o tempo e o custo dos empreendedores brasileiros”, conclui o diretor do Drei, André Santa Cruz.

“Nós estamos abrindo uma empresa hoje, em média de uma hora e meia, duas horas. O que faz com que muitos empresários que estavam antes na informalidade, vendo essa facilidade e, principalmente, que para cada tipo de negócio existe uma natureza específica onde ele pode iniciar pequeno, crescer com segurança e ter todas as garantias”, completa a presidente da Fenaju, Alzenir Porto.

Goiás apresenta o menor tempo para abertura de negócios no período: um dia e duas horas – o que representa uma queda de 16 horas (38,1%) em relação ao primeiro quadrimestre deste ano. Já a capital, Goiânia, conquistou neste último quadrimestre o posto de mais ágil abertura entre as capitais, com tempo médio de 18 horas. Completam essa lista as cidades de Maceió, Curitiba, Brasília e Natal – todas com tempo menor que dois dias.

Outro destaque é para Salvador, onde a abertura de empresas já chegou a ser feita em 31 dias e hoje é realizada em dois dias e 19 horas.

Simplificação

O crescimento da abertura de novos negócios no país é reflexo também de iniciativas do Governo Federal que estão melhorando o processo de registro e legalização de empresas. Entre elas estão o registro automático de empresas, a Lei da Liberdade Econômica (Lei nº 13.874/2019), a dispensa de alvará para exercício de atividades de baixo risco, e a recém-publicada Lei nº 14.195, que busca simplificar ainda mais a abertura e o funcionamento de empresas no país.

Mapa de Empresas

A plataforma Mapa de Empresas foi lançada em 2020 pelo Governo Federal para facilitar as decisões de empreendedores, gestores públicos e privados, e ainda auxiliar nos estudos de pesquisadores e analistas sobre a atividade produtiva.

Qualquer cidadão, em qualquer localidade do país, tem acesso gratuito ao Mapa interativo e ao Boletim pelo gov.br. Por meio das ferramentas é possível verificar dados de abertura de empresas de cada região, estado ou município, por tipo de atividade e tempo de abertura, facilmente encontrados e comparados com períodos anteriores.

Com informações do Gov Federal

Denilson Alves

Editor do Portal Nosso Goiás