Curso Gestar Vidas do HEMNSL explica para as gestantes os tipos de parto

No bate-papo foram abordados riscos e vantagens dos tipos de parto e ressaltada a necessidade de se fazer a cesárea apenas quando há uma indicação clínica

Quando a mulher engravida, já começa a pensar no dia em que vai conhecer seu filho e durante o período de gestação surgem várias dúvidas. Entre elas está o tipo de parto.  Para esclarecer e tirar dúvidas, no quarto encontro do grupo Gestar Vidas, ocorrido nesta quinta-feira (27/07), o Hospital Estadual e Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (HEMNSL), através da equipe de Enfermagem Obstétrica falou sobre os tipos de parto.


A residente Débora Maria Barros apresentou para as futuras mamães as vias de parto. Ela explicou os riscos e vantagens do parto normal – no qual o bebê nasce por via vaginal, processo que pode acontecer naturalmente ou por indução. É o mais indicado no caso de a mãe e bebê estarem em bom estado de saúde, pois a recuperação pós-parto é mais rápida. Foi falado sobre os riscos e vantagens da cesariana – forma de parto feita através de cirurgia. Essa via é indicada quando há situações desfavoráveis na saúde da mãe e do bebê. Apesar de não sentir dor no parto, a recuperação pós-cirurgia é mais demorada e pode ter dor.

Débora ainda abordou sobre o medo relacionado à dor do parto; sobre os métodos não farmacológicos utilizados no pré-parto como exercícios de relaxamento na bola suíça, aromaterapia, musicoterapia etc; fases do trabalho de parto; quando se deve procurar a maternidade, além de tirar dúvidas das participantes. Na oportunidade, a coordenadora de Enfermagem Winny Alcovias, explicou sobre o trabalho da enfermeira obstetra, que é fundamental no parto humanizado. “O profissional de Enfermagem Obstétrica é quem fará um acompanhamento seguro de vocês antes, durante e depois do parto, prestando todos os cuidados necessários”, afirmou a coordenadora.

As gestantes gostaram das informações. “A gente ouve muita coisa das pessoas e fica insegura. Aqui no curso para gestantes estou aprendendo muito, com pessoas especializadas”, avaliou Mariana Assunção, de 20 anos, com 20 semanas de gestação à espera de sua primeira filha. “Muito bom receber todas essas informações e ainda receber roupinha para meu bebê. Espero ter meu filho aqui”, pontuou Jordana Soares, de 34 anos, que está com 32 semanas de gestação.

“O grupo Gestar Vidas é uma oportunidade das futuras mamães receberem informações importantes, tirar suas dúvidas e compartilhar experiências com outras participantes do grupo. Aqui elas se preparam emocionalmente e fisicamente para o parto e para a chegada do bebê, de forma tranquila e segura”, destacou a coordenadora do Serviço Social Lourdes Maria.

Marilane Correntino (texto e fotos) 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *