15 de abril de 2024
ArtigosNoticia e políticaSaúde e comportamento

Saúde: o que é um marcapasso cardíaco

O marcapasso cardíaco (pacemaker) é um pequeno dispositivo médico alimentado por uma bateria que regula o ritmo do coração.

Usado no tratamento de arritmias cardíacas, como a bradicardia (batimento cardíaco lento), o marcapasso envia impulsos elétricos ao coração para assegurar que ele bata a um ritmo adequado e regular, compensando as falhas do sistema de condução elétrica do coração.

O funcionamento do marcapasso depende de dois componentes principais: o gerador de pulso e um ou mais eletrodos. O gerador de pulso, que contém uma bateria e um circuito eletrônico, é o “cérebro” do marcapasso. Ele gera os impulsos elétricos que são enviados ao coração. Os eletrodos são fios finos que conectam o gerador ao coração, transmitindo os impulsos elétricos. Estes impulsos estimulam o coração a contrair e manter um ritmo cardíaco adequado.

O marcapasso só funciona quando detecta problemas nos batimentos cardíacos. Por exemplo, se o coração estiver batendo muito devagar, o marcapasso envia sinais elétricos para corrigir a velocidade dos batimentos. Alguns marcapassos mais modernos podem aumentar o batimento cardíaco conforme necessário, como durante exercícios.

A implantação do marcapasso é feita por meio de um procedimento cirúrgico, normalmente minimamente invasivo, realizado sob anestesia local.

Foto de marcapasso sob a pele
Marcapasso sob a pele

Os eletrodos são inseridos através do acesso venoso e guiados com a ajuda de fluoroscopia (um tipo de raio-x em tempo real) até o coração. Uma vez que os eletrodos alcançam o coração, eles são testados para garantir que estão no lugar certo e funcionando corretamente. Os eletrodos são então fixados no músculo cardíaco.

Após os eletrodos serem colocados e testados, o próximo passo é implantar o gerador de pulso. Uma pequena incisão é feita geralmente abaixo da clavícula. O gerador de pulso, um dispositivo do tamanho de uma caixa de fósforos, é colocado sob a pele nesta área. Os eletrodos são conectados ao gerador.

Após a implantação do gerador de pulso e a conexão dos eletrodos, a incisão é suturada. O paciente é monitorado por um período para garantir que não há complicações imediatas. A maioria dos pacientes pode voltar para casa no mesmo dia ou após uma curta estadia no hospital. Após a implantação, são dadas instruções específicas para a recuperação, que incluem evitar levantar o braço do lado da implantação acima da cabeça e evitar esforços pesados por algumas semanas. Após 7 a 10 dias, os pontos da sutura são retirados.

Apesar de serem dispositivos seguros e eficazes, os pacientes com marcapassos devem ter cuidados específicos. É importante evitar a proximidade com campos magnéticos fortes, como nos casos de exames de ressonância magnética nuclear, que podem interferir no funcionamento do aparelho.

É preciso apontar, no entanto, que vários marcapassos mais modernos são considerados seguros para ressonância magnética. Ainda assim, há protocolos especiais que os médicos podem usar para minimizar os riscos. Eles incluem a configuração do marcapasso em um modo seguro (safe mode) antes do exame, o monitoramento rigoroso durante o procedimento e a reprogramação do marcapasso após o exame.

Os pacientes com marcapasso cardíaco definitivo devem fazer acompanhamento regular com um cardiologista para verificar o funcionamento do marcapasso e a saúde do coração. A bateria do marcapasso tem uma vida útil limitada, exigindo a substituição do gerador de pulso após alguns anos (geralmente de 5 a 10 anos).

Autor(es)

Dr. Pedro Pinheiro

Dr. Pedro Pinheiro

Médico graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com títulos de especialista em Medicina Interna e Nefrologia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Universidade do Porto e pelo Colégio de Especialidade de Nefrologia de Portugal.

Fonte: mdsaude.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *