15 de abril de 2024
Noticia e políticaShows e Eventos

Artista representado por galeria de Goiânia realiza mostra na Pinacoteca de SP

Instalação inédita do escultor José Bento, que tem mais de 40 anos de carreira, pode ser conferida até setembro deste ano

Representado pela Cerrado Galeria, de Goiânia, o artista plástico José Bento vai inaugurar uma exposição na Pinacoteca de São Paulo neste sábado (23), às 11 horas. Ao destacar a mostra para os goianos, a Cerrado Galeria busca evidenciar ainda mais o alcance nacional do escultor, que já tem seu trabalho representado na região Centro-Oeste. Contando com uma carreira consolidada de mais de 40 anos, José Bento levará para o público uma experiência sensorial diferenciada na sua nova instalação no espaço Octógono, da Pinacoteca.

NOSSOGOIAS.COM.BR – DENILSON ALVES


Intitulada “Caminho de Guaré”, a exposição é inédita e foi elaborada no formato site-specific, que é definido por obras de arte criadas especificamente para um determinado ambiente. Abordando a relação entre espaço, tempo e memória, a mostra leva esse nome porque a região onde a Pinacoteca está localizada foi conhecida no passado como Caminho de Guaré, uma passagem de São Paulo para Minas Gerais que existia desde antes da chegada dos europeus na região.
O artista evidencia que percorrer esse caminho significa compreender o espaço como lugar de consciência, reconhecer a presença indígena no local e entender-se como parte da história. Com isso, o escultor lembra que “toda cidade, como resultante das ações humanas no passado e no presente, é um receptáculo das histórias e dos ciclos de vida que por ela assentam e habitam”.


A instalação foi idealizada para retratar três grandes gestos, denominados Ar, Morrotes e Arco Íris, que representam um ciclo de vida. Em “Caminho de Guaré”, José Bento apresenta nuances aromáticas de diversos tipos de madeira, como amarelinho, bálsamo, braúna, caixeta, itapicuru, pau-brasil, pau-pereira, peroba, roxinho e vinhático. Nessa exposição inédita, ele dá outro sentido à madeira, que é um material recorrente em suas obras.
A mostra tem curadoria de Lorraine Mendes e Jochen Volz e é patrocinada por Cescon Barrieu. O público pode conferir a instalação até o dia 1º de setembro, no Edifício Pina Luz, que fica na Praça da Luz nº 2, no bairro Luz, em São Paulo. O espaço funciona todos os dias da semana, com exceção das terças-feiras, abrindo das 10 às 18 horas. Às quintas-feiras, o horário é estendido até 20 horas. A entrada é gratuita aos sábados, durante todo o dia, e às quintas-feiras, a partir das 18 horas.

O artista
O escultor José Bento tem 40 anos de carreira e nasceu em Salvador, na Bahia. Atualmente, ele reside em Belo Horizonte, em Minas Gerais, e é representado pela Cerrado Galeria, que conta com unidades em Goiânia e Brasília. Autodidata, o artista plástico começou a participar de exposições individuais e coletivas em 1989, sendo que a sua primeira mostra individual ocorreu no Palácio das Artes, em Belo Horizonte.
Desde o início da carreira, ele tem a madeira como principal material em suas obras, utilizando troncos tombados naturalmente e recolhidos na região da Mata Atlântica entre Minas Gerais e Espírito Santo, sendo vários deles originados de árvores raras e seculares. José Bento também utiliza porcelana e vidro em suas produções e sempre busca ultrapassar os limites formais da escultura.
Destaca-se a sua escultura “Chão”, feita com tacos oriundos de demolições, que foi montada na 32ª Bienal de São Paulo – Incerteza Viva, em 2016, ocupando uma área de 672 m². Além disso, ele já participou de mostras como a Bienal de Benin de 2012, em Benin, na África, e a 13ª Bienal do Mercosul – Trauma, Sonho e Fuga, ocorrida em 2022, em Porto Alegre. Entre os prêmios recebidos por José Bento, está o do 12º Salão Nacional de Artes Plásticas, realizado em 1991, em Brasília.

Sobre a galeria
Fundada pelos empresários Lucio Albuquerque, Antônio Almeida e Carlos Dale em 2023, a Cerrado Galeria tem como intuito refletir o mundo a partir do Centro-Oeste do Brasil. Sua criação une mais de 30 anos de experiência e tem o objetivo de impulsionar a expansão da arte no território brasileiro, promovendo o cenário artístico regional. Assim como homenageia em seu nome o bioma da região onde está, a galeria destaca questões que envolvem ecologia, processos históricos e sociedade, evidenciando diversas manifestações culturais.
Para isso, a galeria promove mostras individuais e coletivas, conversas públicas, ações educativas e outras atividades voltadas ao desenvolvimento da produção e do mercado de arte na região, assim como sua circulação e presença no Brasil e no mundo. Em Goiânia, a Cerrado Galeria ocupa a casa modernista projetada por David Libeskind na Rua 84, no Setor Sul, conservando azulejos originais que são um marco da arquitetura goiana. Já em Brasília, há uma unidade no Lago Sul, mesma região que receberá, em breve, um novo espaço da Cerrado Galeria.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *