26 de maio de 2024
Noticia e políticaSaúde e comportamento

HEMNSL promove palestra sobre Gerenciamento de Riscos

Segundo dados do Anuário da Segurança Assistencial Hospitalar no Brasil, do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS), em 2016, morreram cerca de 829 brasileiros, por dia, em hospitais devido a erros que poderiam ser  evitados.

No contexto da campanha Abril pela Segurança do Paciente, o Hospital Estadual e Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (HEMNSL), por meio do Núcleo de Segurança do Paciente (NSP) e diretoria da instituição, nos dias 11 e 12 de abril, realizou  palestra dedicada ao Gerenciamento de Risco.

Ministrada pela enfermeira Fernanda Suassuna, gerente assistencial do Hospital Estadual da Mulher (Hemu), a palestra ofereceu esclarecimentos sobre a identificação e gestão de riscos dentro da unidade de saúde. Suassuna destacou a importância de ferramentas como escalas, placas beira-leito e pulseiras coloridas para identificar e monitorar potenciais riscos, como extubação acidental, sangramento, lesões por pressão e quedas.

Ao abordar a relevância do gerenciamento de riscos, Fernanda ressaltou que sua aplicação é fundamental para prevenir eventos adversos e proporcionar uma assistência de qualidade aos pacientes. “Ao elencarmos os riscos mais comuns dentro da unidade, podemos gerenciá-los de forma a evitar que o paciente enfrente tais eventos”, explicou a enfermeira.

Além disso, a palestrante enfatizou a importância de conhecer o perfil específico da unidade para desenvolver protocolos adequados e assertivos. “Ao conhecermos o perfil da unidade, podemos trabalhar de forma mais eficaz os processos de gerenciamento de riscos, o que resulta em uma assistência de qualidade superior para o paciente”, acrescentou.

“O Hospital tem o compromisso de prestar um atendimento com qualidade e segurança aos pacientes. Inclusive, desenvolvemos e produzimos uma nova ferramenta a ser usada na Maternidade, a placa de identificação do paciente, que ficará à beira leito. A placa contribuirá para um cuidado mais seguro, uma vez que contém informações pertinentes sobre o paciente”, pontuou a enfermeira do NSP da unidade, Brenda Castilho.

Marilane Correntino (texto e fotos) 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *