20 de julho de 2024

PORTAL NOSSO GOIÁS NOTÍCIAS

Portal de Conteúdos e Notícias

Noticia e políticaSaúde e comportamento

Hemu realiza treinamento sobre Farmacovigilância, Hemovigilância e Tecnovigilância

Capacitação realizada na unidade de saúde do Governo de Goiás visa reforçar a cultura de segurança  e a importância da notificação de eventos adversos

Na última sexta-feira, 21 de junho, o Hospital Estadual da Mulher promoveu um importante treinamento sobre Farmacovigilância, Hemovigilância e Tecnovigilância. O evento, organizado pelo Núcleo de Qualidade e Segurança do Paciente (NQSP), teve como objetivo reforçar a importância dos processos de vigilância e da notificação de eventos adversos.

 Importância da Farmacovigilância

A farmacovigilância é essencial para monitorar e avaliar os efeitos adversos dos medicamentos. Este processo garante que quaisquer reações inesperadas sejam identificadas rapidamente, permitindo a tomada de medidas corretivas e preventivas para proteger a saúde dos pacientes. Durante o treinamento, ministrado pela farmacêutica Alzira Teixeira Arruda, os profissionais de saúde foram orientados sobre como identificar e relatar adequadamente essas reações, contribuindo para a segurança do uso de medicamentos.

Hemovigilância: garantindo a segurança das transfusões

A hemovigilância, por sua vez, é o conjunto de procedimentos de monitoramento e notificação de eventos adversos relacionados à transfusão de sangue e seus componentes. Esse processo é fundamental para garantir que as transfusões sejam seguras e eficazes, minimizando riscos aos pacientes. O  biomédico, Murilo Cândido Flausino, foi o responsável pelo treinamento e destacou a importância da notificação de qualquer evento adverso, desde reações leves até complicações graves, para aprimorar os protocolos de transfusão e promover a segurança dos pacientes.

Tecnovigilância: segurança no uso de equipamentos médicos

A tecnovigilância envolve a vigilância de equipamentos e dispositivos médicos, assegurando que eles funcionem corretamente e não ofereçam riscos aos pacientes. Durante o treinamento, o engenheiro clínico, Joel Martins, instruiu a equipe  sobre a importância de relatar falhas ou problemas com equipamentos médicos, que podem comprometer a segurança e eficácia dos tratamentos. A notificação desses eventos é essencial para a manutenção e melhoria dos dispositivos médicos utilizados no hospital.

Enfatizando a cultura de segurança

“O treinamento vem para reforçar a cultura de segurança e a importância da notificação de eventos adversos. A participação ativa dos profissionais de saúde e a aplicação rigorosa dos processos de farmacovigilância, hemovigilância e tecnovigilância são essenciais para garantir a segurança dos pacientes e a qualidade dos serviços prestados pelo hospital”, destacou Michele Silveira, gerente de Qualidade Corporativa do Instituto de Gestão e Humanização (IGH) em Goiás, que busca sempre, investir na capacitação contínua de sua equipe para enfrentar desafios e aprimorar a qualidade do atendimento.

Marilane Correntino (texto) 

Fotos: divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *